Autoeuropa não vai produzir entre 22 de dezembro e 4 de janeiro

A Autoeuropa vai efetuar várias paragens de produção, a primeira das quais já no próximo domingo, devido à falta de motores a gasolina, e entre o Natal e início do ano, revelou esta quinta-feira à agência Lusa fonte oficial da empresa.

A Autoeuropa vai efetuar várias paragens de produção, a primeira das quais já no próximo domingo, devido à falta de motores a gasolina, e entre o Natal e início do ano, revelou esta quinta-feira à agência Lusa fonte oficial da empresa.

Segundo a mesma fonte, a fábrica de automóveis de Palmela vai suspender a produção nos dois turnos do próximo domingo, a que se seguirá uma outra paragem, mais prolongada, de 22 de dezembro a 04 de janeiro de 2019.

De acordo com a informação disponibilizada pela Autoeuropa, no dia 22 de dezembro, depois do turno da manhã, a produção na fábrica de automóveis de Palmela será interrompida, prevendo-se que a laboração normal seja retomada no turno da noite do dia 04 de janeiro.

A Autoeuropa adianta que as referidas paragens de produção se devem à dificuldade de alguns fornecedores em responderem a um maior volume de encomendas de motores a gasolina, situação que afeta várias fábricas do grupo Volkswagen e não apenas a fábrica de Palmela.

A empresa esclarece ainda que, ao contrário do noticiado por alguns órgãos de comunicação social, estas paragens de produção não têm a ver com eventuais boicotes dos estivadores alemães em solidariedade com os estivadores do Porto de Setúbal, uma vez que os motores são transportados para a fábrica por via rodoviária.

Na quinta-feira da semana passada a Autoeuropa também foi forçada a fazer uma paragem no turno da noite devido a uma rutura de `stocks´, neste caso devido a atrasos no fornecimento de alguns componentes, que ficaram temporariamente retidos no bloqueio de estradas efetuado pelos denominados “coletes amarelos”, que lutam contra o aumento de impostos sobre os combustíveis em França.

Ler mais
Relacionadas

Três armadores internacionais trocaram Setúbal por portos espanhóis

Se estes três armadores não regressarem ao porto de Setúbal, estaremos a falar de uma ‘fuga’ de cerca de 8.550 TEU neste mês de dezembro, por comparação com o mês homólogo de 2017.

PremiumAutoeuropa em risco de parar a produção já esta semana

A partir de ontem, dia 3 de dezembro, três armadores internacionais, a McAndrews, a Tarros, e a Arkas, deixaram de escalar o porto de Setúbal, desviando os contentores maioritariamente para os portos espanhóis de Vigo e de Santander e provocando uma quebra de 70% nas cargas contentorizadas do porto sadino.

Faltam motores à Autoeuropa. Paralisação vai durar 11 dias

Para além das manifestações dos ‘coletes amarelos’ em França, a paralisação dos estivadores no porto de Setúbal está a condicionar a produção de motores. Este bloqueio vai resultar numa paragem de 11 dias.
Recomendadas

Continental Mabor pede aos Correios para não fechar posto de Lousado

Pedro Carreira, responsável da quarta maior exportadora em Portugal, está preocupado com o efeito de um eventual encerramento do posto de Correios em Lousado.

Google News em risco de sair da Europa com nova diretiva dos direitos de autor

Caso a nova lei seja aprovada pela União Europeia, a gerente de políticas públicas da Google admitiu que iria considerar tirar a Google News do continente. Caso os legisladores não sejam capazes de chegar a um consenso até a primavera, quando o Parlamento Europeu tiver eleições, o processo será adiado até o final deste ano.

DBRS atribui rating B (low) à obrigações AT1 do BCP, abaixo do rating do banco

A DBRS destaca que as obrigações AT1 são profundamente subordinadas e constituem os instrumentos de dívida mais júniores do Banco (isto é, são os últimos a ser pagos).
Comentários