Autoeuropa não vai produzir entre 22 de dezembro e 4 de janeiro

A Autoeuropa vai efetuar várias paragens de produção, a primeira das quais já no próximo domingo, devido à falta de motores a gasolina, e entre o Natal e início do ano, revelou esta quinta-feira à agência Lusa fonte oficial da empresa.

A Autoeuropa vai efetuar várias paragens de produção, a primeira das quais já no próximo domingo, devido à falta de motores a gasolina, e entre o Natal e início do ano, revelou esta quinta-feira à agência Lusa fonte oficial da empresa.

Segundo a mesma fonte, a fábrica de automóveis de Palmela vai suspender a produção nos dois turnos do próximo domingo, a que se seguirá uma outra paragem, mais prolongada, de 22 de dezembro a 04 de janeiro de 2019.

De acordo com a informação disponibilizada pela Autoeuropa, no dia 22 de dezembro, depois do turno da manhã, a produção na fábrica de automóveis de Palmela será interrompida, prevendo-se que a laboração normal seja retomada no turno da noite do dia 04 de janeiro.

A Autoeuropa adianta que as referidas paragens de produção se devem à dificuldade de alguns fornecedores em responderem a um maior volume de encomendas de motores a gasolina, situação que afeta várias fábricas do grupo Volkswagen e não apenas a fábrica de Palmela.

A empresa esclarece ainda que, ao contrário do noticiado por alguns órgãos de comunicação social, estas paragens de produção não têm a ver com eventuais boicotes dos estivadores alemães em solidariedade com os estivadores do Porto de Setúbal, uma vez que os motores são transportados para a fábrica por via rodoviária.

Na quinta-feira da semana passada a Autoeuropa também foi forçada a fazer uma paragem no turno da noite devido a uma rutura de `stocks´, neste caso devido a atrasos no fornecimento de alguns componentes, que ficaram temporariamente retidos no bloqueio de estradas efetuado pelos denominados “coletes amarelos”, que lutam contra o aumento de impostos sobre os combustíveis em França.

Ler mais
Relacionadas

Três armadores internacionais trocaram Setúbal por portos espanhóis

Se estes três armadores não regressarem ao porto de Setúbal, estaremos a falar de uma ‘fuga’ de cerca de 8.550 TEU neste mês de dezembro, por comparação com o mês homólogo de 2017.

PremiumAutoeuropa em risco de parar a produção já esta semana

A partir de ontem, dia 3 de dezembro, três armadores internacionais, a McAndrews, a Tarros, e a Arkas, deixaram de escalar o porto de Setúbal, desviando os contentores maioritariamente para os portos espanhóis de Vigo e de Santander e provocando uma quebra de 70% nas cargas contentorizadas do porto sadino.

Faltam motores à Autoeuropa. Paralisação vai durar 11 dias

Para além das manifestações dos ‘coletes amarelos’ em França, a paralisação dos estivadores no porto de Setúbal está a condicionar a produção de motores. Este bloqueio vai resultar numa paragem de 11 dias.
Recomendadas

Lucros da Semapa sobem quase 7% para mais de 130 milhões de euros

Os lucros atribuíveis aos acionistas atingiu os 132,6 milhões de euros, o que, face a 2017, representa um aumento de 6,8%. Entre os diferentes segmentos de negócio, foi a pasta e papel foi que mais contribuiu para o crescimento do EBITDA da holding, com 455,2 milhões de euros, o que representa um crescimento de 12,7% face a 2017.

Siderurgia Nacional afirma que nada na sua produção justifica poluição em Paio Pires

O diretor de relações institucionais da Siderurgia Nacional (SN-Seixal) afirmou hoje que não ocorreu nada de “anormal” no processo produtivo da empresa que justifique as poeiras negras e brancas na Aldeia de Paio Pires, no Seixal, distrito de Setúbal.

Donos da Herdade das Servas investem nos vinhos verdes

Irmãos Serrano Mira adquirem solar erguido em 1540 pelo poeta e humanista Francisco Sá de Miranda.
Comentários