Autor de mensagem colocada numa garrafa e atirada ao mar há 50 anos foi encontrado

A garrafa foi atirada ao mar quando o inglês Paul Gilmore tinha 13 anos e estava a bordo de um cruzeiro na Austrália.

O autor da mensagem encontrada dentro de uma garrafa que foi atirada ao mar há 50 anos e recentemente encontrada foi encontrado.

A notícia avançada pela rede de televisão pública da Austrália ABC (Australian Broadcasting Corporation), conta que o pescador Paul Elliot encontrou a garrafa na costa oeste da Península de Eyre, no sul da Austrália, enquanto pescava com o seu filho Jyah.

Elliot relatou que desde então procurava o autor da mensagem – Paul Gilmore -, que se descreveu no bilhete como um rapaz britânico de 13 anos que viajava com a família num navio ao longo da costa sul da Austrália, de Fremantle a Melbourne. De acordo com o pescador, no topo do manuscrito vinha o nome da empresa de cruzeiros Sitmar Line  e a data 17 de novembro de 1969.

Na nota, o adolescente escreveu que estava a viajar a bordo do Fairstar, um navio que trouxe muitos migrantes britânicos para a Austrália durante a década de 1960.

Agora parece que o autor do documento foi encontrado. De acordo com a irmã Annie Crossland, o irmão encontra-se novamente no mar, a bordo de um cruzeiro no mar Báltico. Crossland contou que lembra-se de ter visto o irmão escrever cartas e colocando-as em garrafas e revelou ter visto Elliot atirar cerca de seis mensagens ao oceano.

Quanto à garrafa encontrada, disse: “É absolutamente incrível”, afirmou. Também à ABC, outro dos irmãos de Paul Gilmore, David disse ter tido acesso à mensagem e confirmado que se trata, de facto, da caligrafia do seu irmão.

Contudo, existem alguns cépticos. Questionado sobre o assunto pela ABC, o oceanógrafo David Griffin disse que seria impossível a garrafa ter-se mantido à tona durante 50 anos “porque o oceano nunca está parado”. O mais provável, acrescentou, é que tenha estado enterrada durante vários anos e depois voltado ao mar durante uma tempestade.

Ler mais
Recomendadas

Itália à procura de governo: de iniciativa presidencial ou segundo o modelo Ursula?

Matteo Salvini não quer outra coisa que não as eleições antecipadas, mas os seus opositores querem tudo menos isso. O Presidente Sergio Mattarella terá que decidir.

Londres deixa de participar na maior parte das reuniões da União Europeia a 1 de setembro

“Muitas das discussões nestas reuniões com a UE têm a ver com a União depois da saída do Reino Unido. Libertar os representantes dessas reuniões permite que eles concentrem melhor os seus talentos nas prioridades nacionais imediatas”, afirmou Steve Barclay.

“O ideal era que todos saíssem vivos, mas preferimos salvar os reféns”, diz governador do Rio de Janeiro após sequestro

Wilson Witzel parabenizou o trabalho do BOPE e lamentou a morte do sequestrador. Aos jornalistas, o governador do Rio de Janeiro apelou para que “este tipo de atrocidade” não se volte a repetir e anunciou que a família do criminoso terá acompanhamento.
Comentários