Autor
André Barata, Filósofo, Universidade da Beira Interior
Artigos

Brasil, o laboratório do ataque às humanidades

Que têm as humanidades de tão ameaçador para se tornarem um adversário político com magnitude maior do que a da corrupção ou a da violência no discurso político?

O skate e o gozo da materialidade

A perda da materialidade e de capacidade de sermos sujeitos vão lado a lado num tempo em que o processo global nos interpreta, acima de tudo, como ruído.

Um partido que faz falta

André Barata, Renato Miguel do Carmo e Vera Tavares assinam este artigo na qualidade de ex-membros, ex-dirigentes, mas não ex-fundadores do Livre.

O discurso identitário emancipatório

Na esfera pública, o inimigo do discurso identitário emancipatório, do discurso que procura reconhecimento e igual dignidade, é cada vez mais outro discurso identitário, de sinal contrário, assente no desprezo pela diferença entre a imagem e aquilo de que a imagem é imagem. Ou seja, o populismo reinante que uma sociedade hiper-mediatizada promove.

Aos arautos da intolerância

Democracia não rima com exclusão, nem com convites insidiosos à auto-exclusão. E é lamentável que haja concidadãos com influência mediática a prestarem-se a esse serviço.

Para que serve mesmo a meritocracia escolar?

Será que nós pais sequer permitimos aos nossos filhos aperceberem-se criticamente da significação social da escola que lhes estamos a proporcionar activamente? Em Portugal, este debate tem de ser levado a sério.
Ver mais artigos