Autor
António Rodrigues, Advogado
Artigos

Repensar o Estado

Repensar o Estado não significa, só por si, acabar ou criar novas entidades e emagrecer a máquina. É conferir dimensão, relevância e significado às instituições públicas.

O tiroteio

A discussão sobre posse de armas nos EUA é prolongada mas ineficaz. A prevenção passa pela não incitação à violência, pela não glorificação dos criminosos e por mecanismos de controlo digital de violência.

O polícia do Governo

O Governo tem alguém que monitoriza os comportamentos que podem afetar a sua imagem e manda retificar atitudes, sensibilidades e reações excessivas, criar alternativas ou barreiras comunicacionais.

O “progmatismo”

Reconhecido na Europa, o ministro Centeno demonstra com estatísticas a pobreza da economia portuguesa. Ninguém pergunta pelas razões, o que importa são os resultados.

A campanha à condição

O partido do poder explica-nos, com rara desfaçatez, que os visíveis maus serviços públicos se devem à sua falta de capacidade para reduzir burocracia e assegurar transparência.

A arguição perversa

Importa bom senso de não constituir arguidos sem uma fortíssima dose de probabilidade dos efeitos não serem mais elevados do que se pretende salvaguardar.
Ver mais artigos