Autor
Cátia Miriam Costa, Centro de Estudos Internacionais (ISCTE-IUL)
Artigos

Vozes silenciadas

Certos grupos, dada a organização social existente, sempre estiveram consignados ao silêncio. Não porque não tivessem voz, não fossem parte daquela sociedade, ou não contribuíssem para o seu quotidiano, mas simplesmente porque a sua voz era silenciada por quem podia fazê-lo.

Vozes silenciadas

Certos grupos, dada a organização social existente, sempre estiveram consignados ao silêncio. Não porque não tivessem voz, não fossem parte daquela sociedade, ou não contribuíssem para o seu quotidiano, mas simplesmente porque a sua voz era silenciada por quem podia fazê-lo.

O renascimento da China

O bom augúrio que o Ano do Rato traz, com a abundância e a versatilidade nos negócios, é também aquilo que a China precisa para enfrentar a animosidade dos EUA e as reticências da maioria dos países ocidentais face a projetos como a Nova Rota da Seda ou a Grande Baía.

Macau em transição

Em nenhum setor da vida nacional foi designado um papel para Macau, neste período transitório, em que de alguma forma Portugal continua ligado ao território. E também seria bom atualizar a imagem de Macau, sem superficialismos e sem colá-la a Hong Kong que é, em tudo, diferente.

O direito de viver em paz

O Chile procura-se a si próprio, buscando a reconciliação que apenas virá com a mudança. Na semana passada, finalmente, os manifestantes receberam a notícia de que seria iniciado o processo de mudança constitucional. Mas a população ainda pede mais. Quer sentir-se representada, quer apropriar-se do seu país e das suas memórias. Irá conseguir?

Da costa à contracosta

Um autor angolano, José Eduardo Agualusa, e um outro moçambicano, Mia Couto, tratam temas que partilhamos e que inevitavelmente surgem quando nos relacionamos. Mas que mensagem fica? O amor salva, o ódio mata.
Ver mais artigos