Autor
Diogo Horta Osório, Membro do Conselho de Administração do grupo EIP
Artigos

A retoma em K

Em Portugal a retoma em K significa que os trabalhadores do sector privado, esquecidos por este orçamento, estarão no vértice descendente do K.

O orçamento irritantemente optimista

Tenho sérias dúvidas que esta receita resulte quando o maior sector exportador do país está em coma, o turismo, a economia transversalmente não dá sinais de vida e o consumo compreensivelmente não induz o crescimento da oferta.

Queremos mais rotundas!

Depois de anunciar a reposição dos rendimentos da função pública, o primeiro-ministro renuncia aos empréstimos para evitar o aumento da dívida pública. É um contrassenso.

Proporcionalidade e progressividade

Defendo um sistema misto de tributação em sede de IRS: proporcionalidade com traços de progressividade. Vamos acabar com os pobres e aumentar os ricos, leia-se a classe média trabalhadora.

O Estado em que estamos

Urge estancar a despesa pública, promover o produto português em detrimento do estrangeiro, diminuindo o saldo da balança de bens, aliviar a carga fiscal e apoiar as empresas portuguesas.

Os hidro – génios

Queria que os nossos responsáveis tentassem desviar os fundos europeus para financiar a nossa economia, as empresas que produzem bens transaccionáveis e projectos que permitissem exportar a nossa energia verde.
Ver mais artigos