Autor
Economize com Reorganiza
Artigos

Nem todas as compras de regresso às aulas entram nas despesas de educação. Sabe porquê?

Que NIF devo colocar nas faturas das compras de regresso às aulas: o meu ou do meu filho? E será que todas as despesas que fizer para o regresso às aulas entram nas despesas de educação? Tire estas e outras dúvidas com João Raposo, fundador e administrador do Grupo Reorganiza.

Não gaste dinheiro desnecessariamente. Siga as dicas de poupança para o regresso às aulas

Esta é uma época em que os alunos querem ter lápis e cadernos novos mas antes de ir às compras, deve ver primeiro o que tem lá em casa para não gastar dinheiro desnecessariamente. Siga estas e outras dicas de João Raposo, fundador e administrador do Grupo Reorganiza.

Usa cartão de crédito nas compras de regresso às aulas? Saiba que cuidados deve ter

Como deve utilizar o cartão de crédito nestas compras? Que cuidados deve ter se adquirir estes materiais nesta modalidade? Siga as dicas de João Raposo, fundador e administrador do Grupo Reorganiza.

Comparar preços é essencial. Como preparar uma ida às compras de regresso às aulas

É essencial ter uma lista e ser fiel a esse método. Os estímulos para o consumo são muito fortes e os filhos são os nossos grandes influenciadores numa ida às compras. No entanto, não há qualquer problema em dizer que não é possível comprar aquele bem. Siga estas e outras dicas de João Raposo, fundador e administrador do Grupo Reorganiza.

Tenho de comprar todo o material que está na lista da escola? Siga a regra dos três A’s

Sim, deve assegurar todo o material que consta na lista que é facultada pela escola. No entanto, isso não significa que terá de comprar todo os bens. Para isso, deve seguir a regra dos três A’s. Siga estas e outras dicas de João Raposo, fundador e administrador do Grupo Reorganiza.

Gestão do dinheiro não é uma ciência. Três pilares do sucesso financeiro

Será que não temos vivido nos últimos anos sobre o controlo do dinheiro? Se pararmos para pensar, facilmente percebemos que a nossa sociedade, e muitos de nós por inerência, tem vivido em função do dinheiro.
Ver mais artigos