Autor
Filipe Alves
Diretor
falves@jornaleconomico.pt
Artigos

Os ‘comendadores’ sem capital que tomaram o BCP

O chamado “grupo dos sete” – Manuel Fino, Bernardo Moniz da Maia, Vasco Pessanha, Joe Berardo, João Pereira Coutinho, Filipe de Botton e Diogo Vaz Guedes – apoiou o CEO Paulo Teixeira Pinto contra o histórico presidente do conselho geral e de supervisão, Jorge Jardim Gonçalves.

PremiumOs ‘comendadores’ sem capital que tomaram o BCP

Na guerra no BCP, em 2007, Pinhal alertou direção de auditoria para uma “anormal coincidência” entre o crédito aos acionistas apoiantes de Teixeira Pinto e a entrada daqueles nos órgãos sociais. “Foi feita uma análise faz de conta”, diz. Banco de Portugal foi informado.

Justiça vai passar a pente fino créditos da Caixa a Joe Berardo

MP assegura que não deixará de analisar todas as questões criminalmente revelantes. Créditos ruinosos concedidos a empresário estão na mira da PJ.

PremiumJustiça vai passar a pente fino créditos da Caixa a Berardo

Ministério Público assegura que não deixará de analisar todas as questões criminalmente revelantes. Créditos ruinosos concedidos a empresário estão na mira da Polícia Judiciária.

Comendadores sem capital

Um país sem capital torna-se dependente dos governos e subserviente perante os estrangeiros. É este o nosso drama, do qual só conseguiremos sair com mais trabalho, menos ‘esquemas’ e uma visão estratégica de longo prazo.

Tribunal obriga Berardo a assumir pessoalmente dívida à Caixa de 6,6 milhões

A Caixa espera desta forma recuperar uma pequena parte da dívida das entidades controladas por Joe Berardo, que ascende a 350 milhões de euros. Livranças foram subscritas em 2015 e 2016, para que a Fundação Berardo e a Metalgest pudessem pagar os juros em atraso. Berardo garante que não deve nada aos bancos a título pessoal, mas neste caso terá de responder pelas dívidas das entidades que controla.
Ver mais artigos