Autor
Isabel Caetano, Docente convidada, ISCTE-Executive Education
Artigos

Estado da Inovação em Portugal, muita parra…

Travar a precariedade do emprego ou ligar, de modo mais consequente, o apoio à inovação com a internacionalização das empresas portuguesas, são alguns dos caminhos a trilhar, com mais velocidade. E criar respostas para a questão “Como fazer?” e com que prazo, de modo acelerado e focado no futuro.

Avaliar e medir para inovar

Portugal caiu vários lugares no European Innovation Scoreboard, sendo assim reconduzido ao grupo dos Inovadores Moderados. Prova de que esta é uma área nacional de intervenção prioritária.

Liderar no plural

A criação de condições para que mais pessoas possam liderar traduz um compromisso com uma maior abertura à participação e simultaneamente à aplicação de processos mais plurais, transparentes e orientados para resultados.

Inovar no plural*

Os desafios globais que enfrentamos fazem emergir novas abordagens à inovação, mais abertas, participativas e assentes na colaboração. As parcerias entre as grandes empresas e as startups implicam, por isso, um esforço mútuo de alinhamento de expectativas e objetivos.

Portugal e a Iniciativa EUREKA: uma reflexão

A importância da participação na Iniciativa EUREKA encontra-se associada à capacitação e competitividade das empresas portuguesas no desenvolvimento da inovação e no acesso a uma oportunidade de internacionalização, alargando as ligações e parcerias estratégicas.

Construir a competitividade externa

Poderá Portugal construir por si só as bases do seu desenvolvimento futuro? Certamente que não. E esta é uma das grandes ausências do PRR, onde é totalmente desvalorizada a importância do Investimento Direto Estrangeiro, que nos proporcione mais qualidade de gestão, tecnologias competitivas e mercados.
Ver mais artigos