Autor
Joana Almeida
jalmeida@jornaleconomico.pt
Artigos

Iniciativa Liberal apoia referendo para evitar “brechas” na despenalização da eutanásia

O presidente e deputado único do Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, defende que a consulta popular irá produzir “legislação sólida e ponderada” e evitará criar “fraquezas” na lei da despenalização da eutanásia que o partido deseja “ver aprovada”.
francisco_rodrigues_santos_cds_eutanasia

Eutanásia: CDS-PP vai votar a favor do referendo por considerar que Parlamento não tem “mandato popular”

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, defende que os deputados não devem ter “medo de ouvir o povo” e que a aprovação da legalização da eutanásia “sem mandato popular” será “apenas uma demonstração de arrogância do Parlamento”.

OE2021: Com sentido de voto ainda “em aberto”, PEV reconhece que houve “alguns avanços” nas negociações

O líder parlamentar do PEV, José Luís Ferreira, reconhece que, nesta nova ronda negocial, o Governo se mostrou mais disponível para acolher as propostas do partido ecologista, mas vai aguardar pela “resposta definitiva” do Executivo socialista. Sentido de voto será decidido na segunda-feira, dia 26 de outubro.

OE2021: PSD vai votar contra proposta do Governo. Pressão à esquerda aumenta

O sentido de voto foi anunciado esta quarta-feira pelo presidente do PSD, nas jornadas parlamentares do partido. Rui Rio aponta “quatro debilidades” à proposta orçamental: incerteza, projeção da receita sobrevalorizada, aposta excessiva no consumo público e problemas de transparência.

PSD quer planos municipais de mobilidade sustentável para tornar cidades mais amigas do ambiente

O grupo parlamentar do PSD considera que é “imperioso” apostar na mobilidade urbana sustentável e em espaços verdes, garantindo o incremento da segurança e coesão social e territorial e a redução da pegada ecológica.

OE2021: PCP avisa que sentido de voto não será decidido em função de “chantagem” ou “pressão” do Governo

O líder parlamentar do PCP, João Oliveira, recusa ceder a “argumentos de chantagem” ou de “pressão” por parte do Governo e sublinha que, mais do que “conceitos vagos”, é preciso que o OE2021 tenha medidas em que se concretizam intenções.
Ver mais artigos