Autor
João Paulo Gomes, Advogado, CMS RPA
Artigos

Com pandemia ou sem pandemia, não esquecer que é sempre preciso levar este país para a frente!

A única diferença entre o COVID-19 e qualquer outra doença (mais graves e não ainda erradicadas) que lastram pelo mundo, é que, esta pandemia é nova e “democrática”, ou seja, não faz qualquer distinção entre os países ricos e os pobres, afetando-os de igual modo.

Que futuro para a Região Autónoma da Madeira no pós COVID-19?

É inegável que o futuro próximo da Região Autónoma da Madeira será um dos tempos mais exigentes da nossa história, e nesta encruzilhada seremos forçados a ultrapassar desafios estruturais, nomeadamente os decorrentes de nos encontrarmos inevitavelmente dependente de companhias aéreas para garantir o acesso às ilhas, o facto do Governo da República claramente se ter demitido da sua responsabilidade constitucional para com o princípio da continuidade territorial, e acima de tudo, resultar claro que hoje em dia somos uma região fortissimamente dependente do Turismo e que o turismo mundial, e toda a sua indústria vai passar provavelmente pela maior crise da sua história e que levará anos a recuperar.

Madeira: Destino Turístico Clean and Safe – O novo paradigma no Turismo Mundial

A certificação da segurança Clean and Safe da situação epidemiológica do Destino Madeira é assim de absoluta importância, não só porque representa um premium legítimo gerador de valor acrescentado, como também representa para a Madeira um elemento que permitirá, mais rapidamente, conseguir recuperar e chegar mais rapidamente a valores e índices de atividade ao nível do anteriormente registado antes da pandemia.

Coronavírus: Bem-vindos ao “novo normal”

Sucesso! Objetivo atingido… Temos razões para estar contentes com nós próprios, mas não tenhamos ilusões… É agora que vem a parte mais difícil…

Coronavírus: Esperança, Controlo de Danos e Recuperação

De uma forma muito prática, é importante que todos tenhamos presente que nenhuma empresa (ou muito poucas) conseguirão aguentar um período de paragem económica superior a um trimestre inteiro, nem tão pouco, o Estado Português terá capacidade financeira para aguentar o recurso massificado ao lay-off por parte das empresas por três ou seis meses (como já se fala).

Coronavirus: The show must go on!

Em suma, ao nível da taxa de mortalidade, o novo Coronavirus não apresenta um perfil muito distante da gripe sazonal normal, que todos nós já apanhamos e que, com toda a probabilidade, vamos voltar a apanhar no futuro.
Ver mais artigos