Autor
Leonardo Ralha
lralha@jornaleconomico.pt
Artigos

PremiumAdmirável mundo novo: Sexo, drogas e distopia futurista

Por entre muito sexo e drogas, “Admirável Mundo Novo” atualiza para o imaginário de 2020 a distopia criada por Aldous Huxley pouco antes de a II Guerra Mundial devastar o mundo e muito antes de a Internet corroer a privacidade.

PremiumHerança: O que resta de Salazar em Portugal 50 anos depois da sua morte?

O ditador nascido em Santa Comba Dão e recrutado da Universidade de Coimbra liderou o país ao longo de 36 anos e terá morrido sem saber que fora substituído pelo seu ex-delfim Marcello Caetano. Aconteceu há meio século, mas não falta quem ainda hoje identifique resquícios da sua presença nas mentalidades e na vida política de um país aparentemente muito diverso.

PremiumRelatório reacende acusações de interferência eleitoral russa

Documento oficial revelado por um site conservador britânico descreve investigação à interferência de Moscovo no Brexit e no referendo da independência da Escócia. Boris Johnson e Kremlin apressaram-se a desvalorizar envolvimento da Rússia.

Iniciativa Liberal apresenta Tiago Mayan Gonçalves como candidato presidencial

Advogado portuense de 43 anos, que é presidente do conselho de jurisdição do partido e está ligado ao movimento de Rui Moreira, promete ser o candidato para eleitores “que não se reveem num Presidente que abdicou de o ser ou em populistas de esquerda e de direita”.

Estado da Nação: Costa olha para a esquerda e pisca-pisca; afinal havia outros que não o PSD

Primeiro-ministro fez apelo aos partidos da “ex-geringonça” no sentido de um entendimento para a governação até ao final desta legislatura. O “pedido de namoro” não foi imediatamente aceite no último plenário do ano parlamentar, mas o “triângulo amoroso” com o PSD de Rui Rio é que começa a parecer uma improbabilidade geométrica.
Mariana Vieira da Silva

Ministra da Presidência encerra Estado da Nação com aviso de “tempos difíceis” para famílias e empresas

Mariana Vieira da Silva colocou ênfase na defesa dos serviços públicos que “estiveram à altura de uma crise sem precedentes”. E alertou que a Covid-19 “não é passado; é presente e futuro” até que apareça uma vacina ou terapêutica eficazes.
Ver mais artigos