InícioNotícia escrita porPedro Lino, Economista

A zona euro não está preparada para guerras comerciais, muito menos financeiras. Trump tem consciência desta debilidade e sabe que o tempo joga a seu favor.

As transferências de fundos de pensões de empresas privadas para a esfera pública no valor de milhares de milhões de euros, na última década, para cumprir o défice, terão o seu custo para o contribuinte.

A melhor forma de privatizar um serviço sem o dizer é impor restrições, piorar o atendimento e asfixiá-lo financeiramente. É o que está a contecer com o SNS.

Com as maiores companhias de pagamentos e as empresas tecnológicas ligadas à internet domiciliadas nos EUA, é fácil perceber de que lado está a vantagem negocial.

Enquanto se anunciam medidas a perder de vista, a inflação ataca e rouba os rendimentos aos portugueses todos os anos. Existe uma inflação escondida, os impostos indirectos, que diminuem o rendimento disponível dos agentes económicos, de forma quase imperceptível, mas que não rouba votos.

A maioria das empresas demonstrou falta de conhecimento, nomeadamente quanto à necessidade de consentimento tácito por parte do consumidor, tendo-se limitado a uma informação da alteração da sua política de protecção de dados.

Ao atrasar uma solução para o crédito malparado na zona euro, o BCE e a Comissão Europeia podem ter ditado o fim do projeto de integração europeia.

A Europa está protegida por um banco central disposto a comprar a estabilidade política, colocando dinheiro nos problemas como se estes se resolvessem por si.