Autor
Tiago Freitas, analista em Assuntos Europeus
Artigos

A Defesa do Conselho Colonial!

O que o líder socialista gostaria, e já nem esconde, é que os presidentes das Regiões com poder legislativo e executivo próprios dialoguem e negoceiem com uns quaisquer burocratas mangas-de-alpaca, que funcionem simultaneamente como barreira de proteção política a sua excelência, correia de transmissão de informações de Estado, e “gavetómetros” profissionais, que se esqueçam no fundo da gaveta os dossiers mais incómodos, reivindicados pela Madeira.

O Costa d’África

Costa e Silva é uma sumidade nas ciências geológicas, competente e conhecedor dos dossiers enquanto gestor, profundamente culto como humanista, e arguto em termos de planeamento e estratégia.

Lay…On

Na Madeira, muitos empresários, e com razão, têm-se insurgido face à falta de previsibilidade dos procedimentos, uma vez que é da gestão de sobrevivência diária de milhares de contribuintes que estamos a falar. Mas, como é evidente, o Instituto de Segurança Social da Madeira, não tendo transferência de fundos de Lisboa, porque a nível orçamental a SS não está regionalizada, nada pode fazer.

Depois da Pandemia

A Europa, por princípio, é mais vulnerável a todas as crises, paradoxalmente devido às suas preocupações com as liberdades, com a lei, com o ambiente, com a corrupção. É um mal necessário. A Europa pós Maastricht, mas principalmente, pós tratado Constitucional, é a Europa dos regulamentos, da fiscalização, da burocracia. Da Tecnocracia.

3.800 milhões de razões para estar preocupado

Reduzir a actual taxa de 85% para Regiões com constrangimentos permanentes ao nível da competitividade significa obrigar a um esforço orçamental que se revelará incomportável, resultando, no final da linha, uma taxa de execução baixíssima.

Descentralização: o IVA antes da capitação

E sim, sou favorável à descentralização mesmo quando temos mais um nível de poder executivo. Desde sempre que escrevo alinhado com o princípio da subsidiariedade, Lato sensu, que a doutrina Europeia nos cultivou.  Não pode é ser o mesmo tipo de descentralização aplicado no território continental.
Ver mais artigos