BAI lança campanha de acesso ao crédito para pequenos negócios

A iniciativa do Banco Africano de Investimento visa sobretudo apoiar o desenvolvimento e sustentabilidade dos pequenos negócios, assim como dinamizar o sistema económico empresarial.

O Banco Africano de Investimento (BAI) lançou uma campanha de acesso ao crédito que apoia o desenvolvimento e a sustentabilidade dos pequenos negócios no país. De acordo com uma nota enviada à agência noticiosa “Inforpress”, o BAI informou que o crédito pode atingir o montante máximo de 1.000.000$00 e o mínimo de 100.000$00, tendo o beneficiário a possibilidade de fazer a sua liquidação num prazo de até três anos.

A instituição bancária destaca ainda que o acesso ao crédito facilitará o empresário na aquisição das suas mercadorias, pequenos investimentos e apoio financeiro à tesouraria. “O crédito a pequenos negócios é um produto cujo segmento alvo são os particulares com pequenos negócios e micro empresas”, lê-se na nota.

Além disso, conforme o documento, o cliente estar inscrito no Regime Especial das Micro e Pequenas Empresas (REMPE) é também uma condição preferencial no acesso ao crédito. Esta iniciativa visa sobretudo apoiar o desenvolvimento e sustentabilidade dos pequenos negócios, assim como dinamizar o sistema económico empresarial.

Recomendadas

Moody’s atira rating do BPI para o nível “lixo”

A instituição destacou que “os depósitos de clientes representam a principal fonte de ‘funding’ [financiamento] do banco BPI, fonte que recentemente foi complementada com a emissão de obrigações hipotecárias que têm uma notação de Aa3”.

Endividamento da economia nacional bate recorde: 727 mil milhões de euros

Há quatro meses consecutivos que o endividamento da economia portuguesa aumenta. Apesar do setor privado representar a maior fatia no endividamento, verificou-se um crescimento do endividamento do setor público.

Sindicatos entregam novas propostas de aumentos salariais ao BCP

Acordo salarial para dois anos ou, em alternativa, um aumento mínimo fixo são as propostas apresentadas pelos Sindicatos dos Bancários do Sul e Ilhas (SBSI) e do Centro (SBC) à administração do banco que insiste não ser possível ir além de aumentos salariais de 0,6%.
Comentários