BAI lança campanha de acesso ao crédito para pequenos negócios

A iniciativa do Banco Africano de Investimento visa sobretudo apoiar o desenvolvimento e sustentabilidade dos pequenos negócios, assim como dinamizar o sistema económico empresarial.

O Banco Africano de Investimento (BAI) lançou uma campanha de acesso ao crédito que apoia o desenvolvimento e a sustentabilidade dos pequenos negócios no país. De acordo com uma nota enviada à agência noticiosa “Inforpress”, o BAI informou que o crédito pode atingir o montante máximo de 1.000.000$00 e o mínimo de 100.000$00, tendo o beneficiário a possibilidade de fazer a sua liquidação num prazo de até três anos.

A instituição bancária destaca ainda que o acesso ao crédito facilitará o empresário na aquisição das suas mercadorias, pequenos investimentos e apoio financeiro à tesouraria. “O crédito a pequenos negócios é um produto cujo segmento alvo são os particulares com pequenos negócios e micro empresas”, lê-se na nota.

Além disso, conforme o documento, o cliente estar inscrito no Regime Especial das Micro e Pequenas Empresas (REMPE) é também uma condição preferencial no acesso ao crédito. Esta iniciativa visa sobretudo apoiar o desenvolvimento e sustentabilidade dos pequenos negócios, assim como dinamizar o sistema económico empresarial.

Recomendadas

Lesados do BES. António Costa “disse que acabou. Não há mais dinheiro”

Uma organizadora do movimento dos emigrantes lesados do BES em França contou hoje à Lusa que o primeiro-ministro, António Costa, lhe disse que não haveria mais dinheiro para além do que já foi acordado.

Adeus, caderneta bancária. Levantamentos de dinheiro acabam este sábado

Esta medida é uma consequência direta da entrada em vigor das novas regras europeias, que exigem mais segurança nas operações bancárias. Clientes do Montepio Geral, Caixa Geral de Depósitos e Crédito Agrícola vão ter de passar a usar somente o cartão de débito para levantar dinheiro.

Sindicatos bancários aplaudem “papel responsável” da DGERT e dizem que negociação para 2019 com o BCP “não está fechada”

Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários, Sindicato dos Bancários do Norte e Sindicato Independente da Banca asseguram que não voltarão “a baixar os braços” porque pediram 2,38% de atualização de tabelas e cláusulas pecuniárias e o banco retorquiu com 0,6%.
Comentários