Barril de Brent supera 80 dólares com aproximação de furacão da costa dos EUA

Desde a abertura na segunda-feira (77,57 dólares), a cotação do Brent aumentou 3,21% no mercado de Londres.

O preço do barril de petróleo Brent superou hoje os 80 dólares no mercado de Londres, por se recear que o furacão Florence possa atingir a costa leste norte-americana, afetando o fornecimento de energia na região.

O petróleo do mar do Norte, de referência na Europa, negociava às 15:40 (hora de Lisboa) a 80,06 dólares, aproximando-se de 80,50 dólares, o nível mais elevado desde 2014.

No mercado de Nova Iorque, o preço do barril de petróleo do Texas (WTI) para entrega em outubro também seguia em alta e negociava a 70,20 dólares.

Florence, um furacão de categoria 4 na escala de Saffir-Simpson, composta por cinco níveis, ameaça com ventos fortes e chuvas torrenciais uma extensa parte da costa leste norte-americana, em particular os estados da Carolina do Norte e da Carolina do Sul.

O possível impacto do furação em infraestruturas petrolíferas e no consumo energético da região tem motivado um aumento do preço do crude nas últimas horas, segundo analistas citados pela agência EFE.

Desde a abertura na segunda-feira (77,57 dólares), a cotação do Brent aumentou 3,21% no mercado de Londres.

Ler mais
Recomendadas

Euronext: “Este modelo de supervisão prejudica o mercado de capitais”

A presidente da Bolsa, Isabel Ucha, diz que proposta do Governo para a reforma da supervisão financeira duplica as entidades e torna Portugal no único país com tal complexidade e custos.

Tecnologia tornou trading mais acessível aos investidores

A transformação digital, no que diz respeito ao acesso à tecnologia por parte do utilizador e à inovação das próprias plataformas, tem permitido uma maior caracterização do ativo que se está a comprar.

Arábia Saudita considera que petróleo deve ser “bem equilibrado” este ano

O assessor do ministro da Energia da Arábia Saudita, Ibrahim al-Muhanna, afirmou esta sexta-feira que é possível que os cortes na produção de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) venham a estender-se até ao final do ano.
Comentários