Barril de Brent supera 80 dólares com aproximação de furacão da costa dos EUA

Desde a abertura na segunda-feira (77,57 dólares), a cotação do Brent aumentou 3,21% no mercado de Londres.

O preço do barril de petróleo Brent superou hoje os 80 dólares no mercado de Londres, por se recear que o furacão Florence possa atingir a costa leste norte-americana, afetando o fornecimento de energia na região.

O petróleo do mar do Norte, de referência na Europa, negociava às 15:40 (hora de Lisboa) a 80,06 dólares, aproximando-se de 80,50 dólares, o nível mais elevado desde 2014.

No mercado de Nova Iorque, o preço do barril de petróleo do Texas (WTI) para entrega em outubro também seguia em alta e negociava a 70,20 dólares.

Florence, um furacão de categoria 4 na escala de Saffir-Simpson, composta por cinco níveis, ameaça com ventos fortes e chuvas torrenciais uma extensa parte da costa leste norte-americana, em particular os estados da Carolina do Norte e da Carolina do Sul.

O possível impacto do furação em infraestruturas petrolíferas e no consumo energético da região tem motivado um aumento do preço do crude nas últimas horas, segundo analistas citados pela agência EFE.

Desde a abertura na segunda-feira (77,57 dólares), a cotação do Brent aumentou 3,21% no mercado de Londres.

Ler mais
Recomendadas

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

O Fórum Económico Mundial que reúne líderes políticos e empresários mundiais em Davos marca a semana. Destaque ainda para a primeira reunião do ano do Banco Central Europeu.

Petróleo a caminho de acumular um aumento de quase 20% desde o início do ano

Depois de fechar 2018 em queda livre devido a receios de um excesso de oferta global e de uma desaceleração económica, os preços do petróleo nos EUA não param de subir desde início do ano. E atingiu o maior pico nos primeiros 13 dias úteis, desde janeiro de 2001, segundo dados compilados pela Bloomberg e citados pelo El Economista.

CMVM limita a venda do derivado CFD a investidores não profissionais

A CMVM segue a recomendação da ESMA e pôs um projeto de regulamento a consulta pública até 27 de fevereiro. Esta legislação surge porque segundo dados recolhidos em vários Estados-Membros há cerca de 74% a 89% dos investidores não profissionais que investem em CFDs e perdem dinheiro. Sendo que em média, perdem entre 1.600 euros e 29.000 euros.
Comentários