BCE aprova novos administradores do BPI

Os sete novos gestores do banco liderado por Pablo Forero entraram em funções no passado dia 10 de julho.

Cristina Bernardo

O BPI relatou em comunicado à CMVM que na sequência da eleição pela Assembleia Geral de Acionistas do passado dia 20 de abril e da autorização para o exercício de funções concedida no dia 9 de julho pelo Banco Central Europeu, entraram em funções no dia 10 de julho novos membros dos órgãos sociais do Banco BPI, para exercer funções até ao final do mandato em curso (2017-2019).

O BCE aprovou assim António Cabral como vogal do Conselho de Administração; Manuel Sebastião como Presidente do Conselho Fiscal; Elsa Maria Roncon como vogal do Conselho Fiscal; Ricardo de Frias Pinheiro como vogal do Conselho Fiscal; Rui Guimarães como vogal do Conselho Fiscal; Manuel das Neves Correia de Pinho como vogal suplente do Conselho Fiscal; e Luís Roque de Pinho Patrício como vogal suplente do Conselho Fiscal.

 

Relacionadas

Fundo de Pensões do BPI vende ao Norfin quarteirão da Baixa por 66 milhões

A transação será concretizada nas próximas semanas, revela a Jones Lang LaSalle, companhia de serviços financeiros e profissionais do setor imobiliário, liderada em Portugal por Pedro Lancastre, em comunicado.

Pablo Forero: “Não há qualquer intenção de transformar o BPI numa sucursal”

O BPI ganhou pela primeira vez o prémio que ao longo de anos coube ao Santander Totta, o de ‘Melhor banco em Portugal’, da “Euromoney”.

CaixaBank Consumer Finance vai abrir em Portugal

O Caixabank quer abrir em Portugal uma sucursal do banco especializado em crédito ao consumo espanhol.
Recomendadas

Novo Banco já deu mais de 36 mil moratórias no crédito à habitação que representam 2.150 milhões de euros

Apesar do valor em causa — 2.150 milhões de euros — o Novo Banco salienta que 85% dos clientes que celebraram contratos de crédito à habitação com a instituição financeira “mantiveram as suas responsabilidades no pagamento das prestações” durante o “contexto adverso” da pandemia.

Banif: Lesados contestam relatório da Baker Tilly e pedem nova análise aos ativos

“No resumo do Relatório Baker Tilly que o Banco de Portugal (BdP) divulgou é negada praticamente qualquer recuperação àqueles Lesados” do Banif, refere a ALBOA num comunicado hoje divulgado, contestando ainda a falta de acesso ao documento integral.

Pedidos de adesão a moratórias de crédito abrangeram 841 mil contratos no segundo trimestre de 2020

Até 30 de junho, as instituições aplicaram as medidas de apoio previstas nas moratórias a 741.623 empréstimos”, o que representou 88% do total dos pedidos efetuados.
Comentários