Procura-se especialista em blockchain. Ordenado: 80 mil euros anuais. Oferta é do BCE

“A vaga oferece excelentes oportunidades para estudar novas tecnologias como blockchain e inteligência artificial num ambiente dinâmico”, lê-se na oferta de emprego.

Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu

Com o advento da criptomoeda – pelo menos, aparentemente – e com o sucesso financeiro da Bitcoin, o Banco Central Europeu (BCE) procura um jovem expert em blockchain ou Inteligência Artificial (IA), visto ser essa tecnologia que permite a fiabilidade e segurança de qualquer tipo de transação monetária, através da Internet.

O BCE tem uma oferta de trabalho publicada no seu site para jovens especialistas em “tecnologias de contabilidade”, no departamento de infraestruturas e pagamentos, e dá preferência a candidatos do sexo feminino.

O contrato em causa terá a duração de um ano e define um salário líquido mensal de 3.961 euros mais benefícios. Ao todo o BCE oferece 80 mil euros brutos anuais.

“A posição oferece excelentes oportunidades para estudar novas tecnologias como DLT e IA num ambiente dinâmico e explorar as oportunidades e os desafios decorrentes das novas tecnologias a partir de uma perspetiva do banco central. Fará parte de uma equipa multicultural que procura inovação contínua para ter um impacto positivo na vida dos cidadãos europeus”, explica a entidade liderada por Mario Draghi.

Relacionadas

Criptomoedas, impostos e volatilidade vão determinar investimentos em 2018

Depois de um ano de ganhos, 2018 poderá trazer correções nas ações globais. Apesar disso, os gestores de ativos vêem um futuro risonho para a Europa.
Recomendadas

Italiano BFF Banking Group abre sucursal em Lisboa

O BFF Banking Group, cotado na Bolsa de Milão desde 2017, apresenta-se como líder especializado na gestão de cobranças e no factoring de pagamentos a receber da administração pública e dos sistemas de assistência médica na UE.

Moody’s: ratings do BCP, CGD e BPI sobem dois níveis

Moody’s sobe ratings da banca nacional depois de tirar Portugal de ‘lixo’. CGD, BCP, BPI, Montepio e Santander viram as classificações subir na sequência da subida do rating da República.

“Empresas têm de consolidar resistência ao impacto das alterações climáticas”, alerta Zurich

Divulgado na Climate Week NYC – encontro anual de investidores, governantes, CEO de diferentes empresas e cientistas, que decorre em Nova Iorque – o relatório destaca a eventual insuficiência dos esforços realizados para travar o aquecimento global.
Comentários