BCP assina acordo com chinesa UnionPay

Com este acordo, o Millennium bcp começará a emitir cartões UnionPay aos seus clientes e a implementar os UnionPay QuickPass, bem como pagamentos online neste serviço.

Cristina Bernardo

O Primeiro-Ministro de Portugal, António Costa, e o Presidente da China,  Xi Jinping, presenciaram esta quarta-feira, dia 5 de dezembro, no Palácio de Queluz, a assinatura de um acordo entre o Millennium bcp e a UnionPay International.

Com este acordo, o Millennium bcp começará a emitir cartões UnionPay aos seus clientes e a implementar os UnionPay QuickPass, bem como pagamentos online neste serviço.

“A assinatura deste acordo segue-se a um memorando de entendimento celebrado entre ambas as empresas no ano passado, que tornou o Millennium bcp o primeiro banco europeu a emitir cartões UnionPay”, diz o banco em comunicado. O BCP passa também a gerir a rede de aceitação dos cartões UnionPay em Portugal, independentemente do país onde tiverem sido emitidos.

“É com satisfação que o Millennium bcp anuncia que é o primeiro banco da Europa a emitir cartões UnionPay, e que tem também a opção de estender este acordo a outras geografias onde o Millennium bcp está presente”, diz o CEO do BCP na nota.

“Trata-se de um acordo muito importante, uma vez que permite ao banco providenciar mais um serviço distinto aos nossos clientes, que passam a ter acesso ao sistema de pagamentos que emite mais cartões a nível mundial, universalmente reconhecido e aceite em toda a China, estando também a crescer na Europa”, afirmou Miguel Maya.

Recomendadas

Máximo dos Santos defende papel do BdP na aplicação das medidas de resolução aos bancos pequenos

O Banco de Portugal organizou ontem de manhã, em Lisboa, um evento dedicado ao planeamento de resolução de instituições classificadas de menos significativas e das instituições que não estão abrangidas pelo âmbito do Mecanismo Único de Resolução. Juntou 28 instituições de crédito e empresas de investimento e a APB.

António de Sousa passa avaliação de idoneidade

Ex-presidente da Caixa, atualmente gestor do fundo ECS, passou no exame de idoneidade do supervisor a antigos administradores do banco público que continuam ligados ao setor financeiro.

FMI recomenda que Parlamento dê ouvidos aos supervisores na reforma da supervisão financeira

“Os três supervisores setoriais nacionais levantaram preocupações legítimas em relação ao projeto de lei e que merecem uma ponderação cuidadosa no Parlamento antes que este projeto de lei seja aprovado e convertido em lei”, lê-se no comunicado da equipa técnica do FMI que esteve em visita a Portugal.
Comentários