BCP e papeleiras impulsionam PSI 20

Na bolsa portuguesa, catorze empresas cotadas valorizam, três desvalorizam e uma negoceia sem variação.

O principal índice bolsista português (PSI 20) soma 0,43%, para 5.265.62 pontos, em linha com as principais praças europeias esta quarta-feira, 29 de janeiro. Na bolsa portuguesa, catorze empresas cotadas valorizam, três desvalorizam e uma negoceia sem variação.

Os títulos das papeleiras Altri (1,02%), Navigator (0,85%) e Semapa (0,94%), do BCP (1,16%) e da Galp (0,65%) impulsionam o PSI 20. De acordo com os analistas do BPI, “o curso da bolsa nacional e sobretudo dos títulos mais cíclico [BCP, Altri, Navigator e Mota-Engil] dependerá muito da forma como os investidores globais interpretam os efeitos da epidemia do coronavírus”.

Em terreno negativo negoceiam Jerónimo Martins, a Pharol e Corticeira Amorim.

Os efeitos do coronavírus também se fazem sentir entre as restantes congéneres europeias. Enquanto o número de pessoas infetadas e de vítimas mortais aumenta, os investidores aliviam a pressão com os resultados das empresas. Por exemplo, recentemente, a British Airways decidiu suspender os voos para a China até março, enquanto a situação não é resolvida. Segundo a BBC, também a Starbucks decidiu encerrar mais de duas mil lojas na China por causa desta epidemia. E na Austrália, as autoridades consideram enviar t

À medida que o coronavírus aumenta o número de vítimas mortais e o nível de preocupação, os investidores “refugiam-se” nos resultados das empresas para encontrar algum alívio.

Recomendadas

Bolsa portuguesa acompanha Europa em alta. Grupo EDP impulsiona o PSI 20

Entre as principais congéneres europeias, o alemão DAX ganha 0,74%, o britânico FTSE valoriza 0,39%, o francês CAC 40 soma 0,65% e o espanhol IBEX avança 0,74%.

Wall Street encerra no verde em dia de tomada de posse do novo presidente dos EUA

A tendência de ganhos em Wall Street prossegue no dia de tomada de posse do novo presidente dos EUA, Joe Biden.

Bolsa de Lisboa é a única que cai na Europa

As valorizações da EDP Renováveis e da Galp de mais de 1% não evitaram a queda do índice lisboeta. Europa fecha no verde.
Comentários