PremiumBCP prepara assembleia geral extraordinária para novembro

O Millennium BCP está a preparar uma assembleia geral extraordinária para ocorrer no próximo mês de novembro. O mote é a mudança de estatutos.

O Millennium BCP está a preparar uma assembleia geral extraordinária para ocorrer no próximo mês de novembro, soube o Jornal Económico junto de fonte próxima do processo. O motivo da convocação de uma reunião de acionistas extraordinária é a alteração aos estatutos do banco de modo a ajustá-los a uma diretiva europeia relacionada com a clarificação do poder da assembleia geral para decidir a distribuição de dividendos.

A assembleia geral extraordinária que será hoje anunciada, tem na agenda dois temas: Uma clarificação, que é pedida por Bruxelas, de que não há obrigação do banco de pagar dividendos, e que esta distribuição é sempre uma decisão tomada em assembleia geral. Esta clarificação é uma condição para que o capital possa ser mesmo considerado como fundos próprios de base.

O segundo tema que está na agenda, refere-se a uma recomposição da situação líquida, entre as reservas distribuíveis e as reservas não distribuíveis. O BCP vai aumentar as reservas distribuíveis o que abre a porta para o futuro pagamento de dividendos e permite a remuneração dos títulos de Tier 1 (obrigações). Ao contrário do que se chegou a equacionar, o BCP não vai antecipar pontos que estão previstos levar à assembleia geral anual, que tradicionalmente ocorre em fim de maio.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

ASF “delibera a constituição de um grupo de trabalho” para supervisionar a Associação Mutualista

A ASF desde que ganhou a supervisão das maiores Mutualistas que “dispõe de poderes de monitorização das ações e diligências adotadas pelas associações mutualistas relevantes com vista à progressiva adaptação ao quadro regulatório e de supervisão do setor segurador”, para assegurar essa função constituiu um grupo de trabalho.

Fundos lesados com obrigações sénior do Novo Banco em 2015 põem ação contra o Estado no Tribunal Administrativo

Os autores da ação contra o Estado são a Pimco, o fundo soberano do Kuwait e o fundo de pensões da IBM. Em causa está a transmissão de cinco séries de obrigações séniores do Novo Banco para o BES ordenada pelo Banco de Portugal (autoridade de resolução) no fim de 2015.

Pedro Castro e Almeida torna-se CEO do Banco Santander Totta em janeiro

Comissão executiva do Banco Santander Totta liderada por Pedro Castro e Almeida foi aprovada esta quinta-feira em assembleia-geral. O CEO e respectiva equipa executiva iniciam funções em janeiro.
Comentários