Bebidas alcoólicas: Portugal foi o segundo país europeu onde a despesa mais cresceu na última década

Na última década, a percentagem de bebidas alcoólicas no total das despesas dos agregados familiares portugueses subiu de 1,1% para 1,4%. Só a Roménia superou Portugal neste período.

As famílias portuguesas gastam menos em bebidas alcoólicas do que a média das da União Europeia (UE), mas Portugal foi o segundo país europeu onde a despesa com álcool mais subiu na última década (sem incluir os copos e garrafas comprados em restaurantes e hotéis).

Findado o período de excessos que caracteriza a passagem de ano, o Eurostat revelou que, entre 2007 e 2017, a percentagem de bebidas alcoólicas no total das despesas dos agregados familiares em Portugal subiu de 1,1% para 1,4% (mais 0,3 pontos percentuais), tendo-se mantido praticamente estável nos restantes Estados-membros. Só a Roménia totalizou um valor superior (tendo aumentado de 2,3 para 2,7%).

Segundo o organismo de estatística da UE, em 2017, as famílias da EU gastaram 1,6% das suas despesas totais em bebidas alcoólicas, o que representa uma despesa total superior a 130 mil milhões de euros (equivalente a 0,9% do PIB da comunidade única ou mais de 300 euros por habitante do bloco). Nesse ano, Portugal fixou-se abaixo, com 1,7% da fatura nestes bens de consumo. No entanto, no acumulado dos últimos dez anos, os portugueses destacam-se como uns dos mais gastadores.

“Na UE em 2017, a percentagem de despesas totais com bebidas alcoólicas foi maior em três países bálticos: a Estónia (5,2%), a Letónia (4,9%) e a Lituânia (4,0%). Seguiram-se a Polónia (3,5%), a República Checa (3,3%), a Hungria (3,0%) e a Finlândia (2,8%) No extremo oposto da escala, a Espanha (0,8%), a Grécia e a Itália (ambos com 0,9%)”, refere o relatório do Eurostat.

Fonte: Eurostat

Ler mais
Recomendadas

Figueira de Castelo Rodrigo envia garrafa de vinho para o espaço

Uma garrafa com vinho de Figueira de Castelo Rodrigo, no distrito da Guarda, será este ano enviada para o espaço no âmbito de um projeto que envolve a Câmara e a Adega Cooperativa local.

Azeite: alterações climáticas, doenças e pragas provocam pior colheita em 25 anos em Itália

Fraca produção de azeite caseiro custou aos italianos um prejuízo superior a mil milhões de euros.

EY cria ‘wine blockchain’ para garantir autenticidade do vinho

Giuseppe Perrone é o responsável pela área de blockchain da EY na região do Mediterrâneo. O projeto permite ver todos os passos da cadeia de valor da garrafa de vinho que chega às mesas dos consumidores.
Comentários