Benfica vai responsabilizar judicialmente quem aceder e divulgar os seus emails

‘Águias’ anunciaram hoje que vão responsabilizar judicialmente quem aceder e divulgar os seus emails confidenciais, denunciado que a inoperância das autoridades competentes provocou um sentimento de impunidade.

Pedro Nunes/Reuters

Na última semana, foram colocados ‘online’ inúmeros emails, nomeadamente de Paulo Gonçalves, assessor jurídico da SAD benfiquista, e Pedro Guerra, comentador afeto ao Benfica e antigo diretor de conteúdos da BTV, depois de várias mensagens de correio eletrónico já terem sido divulgadas pelo diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques.

Em comunicado, a SAD do Benfica sublinhou estar a ser “alvo de múltiplas ofensas ao seu bom-nome e ao seu prestígio, através de imputações falsas que afetam, de modo grave, o crédito e a consideração que lhes são devidos, enquanto projeto social, cultural, desportivo e económico sustentável, de dimensão internacional”.

“Tais ofensas consubstanciam a prática de ilícito criminal previsto e punido pela lei portuguesa” e, ainda de acordo com o clube, revelam “a intenção torpe de expor, publicamente, informação confidencial do Sport Lisboa e Benfica e dados pessoais de terceiros e, ainda, de condicionar, não apenas o normal desenrolar da competição desportiva, mas também e, mais grave, a atuação firme e eficaz das próprias autoridades policiais e judiciais”.

A SAD do clube lisboeta recorda as ações judiciais desencadeadas em julho último, após as primeiras divulgações do responsável ‘azul e branco’, assinalando que “nenhuma das medidas cautelares e/ou de polícia requeridas pelo Sport Lisboa e Benfica foi tomada pelas autoridades competentes”.

“Essa omissão resultou num total sentimento de impunidade, o qual culminou no recente ataque criminoso, anónimo e cobarde, concretizado na divulgação através das redes sociais de dados pessoais e institucionais do Sport Lisboa e Benfica, desde endereços eletrónicos e respetivas palavras-passe, até ao conteúdo de mensagens de correio eletrónico trocadas entre funcionários”, prossegue o comunicado, assinalando que este “ataque” é também uma afronta ao “Estado de direito democrático, que não pode passar em claro a nenhuma autoridade pública, seja ao nível federativo, governamental ou judiciário”.

Nesse sentido, o Benfica assegura que vai “continuar a tomar todas as medidas e encetará todas as diligências, judiciais e extrajudiciais, com vista ao apuramento da responsabilidade dos autores destes crimes”, alargando-a “a todos os outros que a continuam a difundir e que obtenham e mantenham na sua posse essa mesma informação”.

“Assim, o Sport Lisboa e Benfica declara, para todos os efeitos legais, que irá responsabilizar todos aqueles que continuam a difundir informação confidencial sua e, ainda, aqueles que, através das hiperligações já publicadas ou outras que venham a ser publicadas, obtenham e acedam ao conteúdo dessa informação confidencial”, rematou o emblema das ‘águias’.

Ler mais
Recomendadas

Altice Portugal em conversas com dois bancos para prestar serviços financeiros

Alexandre Fonseca afirmou que, “neste momento, a Altice Portugal está a falar com duas instituições financeiras nacionais (…) sobre a possibilidade de expandir a sua oferta para a área de serviços financeiros”.

PremiumEmpresas e famílias terão incentivos fiscais no interior

Governo lança benefícios fiscais (ao nível do IRC e do IRS) para promover a revitalização do interior. Investir fora dos grandes centros urbanos terá mais vantagens para as famílias e para as empresas.

PremiumGoverno vai alocar 200 milhões das receitas do IRC à Segurança Social

O Governo pretende alocar cerca de 200 milhões de euros das receitas de IRC arrecadadas em 2019 ao Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social, o equivalente a um ponto percentual da taxa do imposto que recai sobre as empresas . Face à transferência deste ano, os cofres da Segurança Social receberão mais 120 milhões de euros em 2019.
Comentários