Berlusconi está mais rico desde que prepara regresso à política

O património líquido do ex-primeiro-ministro italiano subiu 36,9% a partir de 28 de novembro do ano passado.

À medida que se aproximam as eleições de Itália, agendadas para para maio de 2018, Silvio Berlusconi está a ficar mais rico. O antigo primeiro-ministro italiano viu o seu património líquido subir para 8,4 mil milhões de dólares (cerca de 7,1 mil milhões de euros à cotação atual) até dezembro, de acordo com o Índice de Bilionários da Bloomberg (Bloomberg Billionaires Index), no qual constam as 500 pessoas mais ricas do mundo.

A agência noticiosa refere que a riqueza do ex-governante italiano que esteve envolvido em diversos escândalos subiu 36,9%, a partir de 28 de novembro do ano passado, na altura em que um responsável da Vivendi promoveu uma possível aliança da empresa com a Mediaset.

Nas eleições em Sicília de 5 de novembro, vistas como um ensaio geral para 2018, a aliança do partido de Silvio Berlusconi com o movimento anti-imigração Liga Norte e os nacionalistas Irmãos de Itália conseguiram levar a melhor (39,8%) e relegar o partido populista e extremista Movimento 5 Estrelas, liderado por Beppe Grillo e Gianroberto Casaleggio, para segundo lugar (35,7%).

Três semanas depois da ida às urnas, o antigo primeiro-ministro, que liderou o executivo três vezes, afirmou acreditar que, depois das próximas eleições legislativas de Itália, o governo vai acabar nas mãos da sua coligação de centro-direita ou do Movimento Cinco Estrelas, apontado como favorito em várias sondagens.

“Sinto o dever de entrar na política para que o país não acabe numa situação grave e perigosa. Vou fazê-lo com a força de alguém que tem mais de 70 anos, mas se sente jovem, tanto intelectual como fisicamente. Sinto-me como se tivesse 40 anos”, disse Silvio Berlusconi numa iniciativa do partido Forza Itália.

Berlusconi pode voltar à ribalta política em 2018

 

Ler mais
Relacionadas

Partido de Berlusconi ganha “ensaio geral” em Sicília para as eleições de 2018

Nello Musumeci, o candidato de direita apoiado pelo antigo chefe do Executivo italiano, terá conseguido entre 35 a 40% dos votos, antecipando uma eventual vitória do partido nas legislativas do próximo ano.
Recomendadas

Turquia promete “revelar tudo” sobre a morte do jornalista Jamal Khashoggi

Estes comentários surgiram horas depois de a Arábia Saudita confirmar que Khashoggi morreu após uma luta no consulado do país em Istambul, Turquia, e que 18 suspeitos foram detidos.

EUA formalizam acusação de ingerência russa nas eleições de 2016 e 2018

Elena Alekseevna Khusyaynova, de 44 anos, terá ligações a vários cidadãos russos que estariam a preparar um plano para voltar a interferir nas eleições intercalares norte-americanas.

Passaporte português é plano de fuga para brasileiros após eleições

O número de pedidos de nacionalidade e solicitações de vistos para Portugal solicitados na unidade consular na cidade de brasileira de São Paulo disparou em 2018.
Comentários