Bolsa de Xangai tombou para mínimos de 2014

A principal praça financeira da China fechou a cair 5,22%, para 2.583,46 pontos, o nível mais baixo desde novembro de 2014.

A bolsa de Xangai, principal praça financeira da China, fechou esta quinta-feira a cair 5,22%, para 2.583,46 pontos, o nível mais baixo desde novembro de 2014.

Shenzhen, a segunda praça financeira do país, recuou 6,07%, para 7.524,09 pontos.

A queda nas praças financeiras chinesas surge após um recuo na bolsa de Wall Street, face à possibilidade da Reserva Federal norte-americana continuar a subir as taxas de juro este ano, o que aumentaria os custos de financiamento das empresas e pode abrandar o crescimento económico global.

A Reserva Federal deverá voltar a subir as taxas de juro antes do fim do ano.

O nervosismo nos mercados deve-se também às crescentes disputas comerciais entre Estados Unidos e China, em torno das ambições chinesas para o setor tecnológico.

Recomendadas

Bancos espanhóis perdem 43 mil milhões na bolsa este ano

Quando faltam duas semanas para o fim do ano, o valor de mercado dos seis grandes bancos espanhóis cotados na Bolsa de Madrid já encolheu 23,8% face a 2017.

Wall Street fecha em queda acentuada com arrefecimento económico

O dia de hoje foi marcado pela derrocada das ações da Johnson & Johnson. As ações caíram 10,13% no Dow Jones após a Reuters dizer que a empresa sabia há décadas que o seu pó de talco continha amianto, uma substância cancerígena que supostamente terá causado cancro a milhares de clientes.

Science4you adia entrada em bolsa para 8 de fevereiro

O pedido de adiamento do período de subscrição da oferta à CMVM foi sustentado na celebração de um contrato de liquidez com um intermediário financeiro.
Comentários