BPI compra 5,01% da NOS para cobrir risco de ‘equity swaps’

A aquisição desta posição acionista foi efetuada com a finalidade de cobrir o risco económico inerente a contratos de equity swap com liquidação financeira (Cash settled Share Swap Transactions) celebrados pelo Banco BPI.

Presidente executivo da NOS, Miguel Almeida

A NOS anunciou em comunicado que o BPI passou a ter, a partir de 1 de julho, 5,01% da operadora de telecomunicações.

A aquisição desta posição acionista foi efetuada com a finalidade de cobrir o risco económico inerente a contratos de equity swap com liquidação financeira (Cash settled Share Swap Transactions) celebrados pelo Banco BPI.

No âmbito desses contratos “o banco periodicamente paga às contrapartes ou recebe das suas contrapartes, respetivamente, os montantes correspondentes à valorização ou desvalorização das ações da NOS SGPS, relativamente ao valor acordado e transmite às suas contrapartes os montantes recebidos pelo Banco BPI, no âmbito do exercício dos direitos patrimoniais inerentes a essas ações”, refere o comunicado.

“Os contratos de equity swap em questão não contêm quaisquer disposições que prevejam a transmissão às contrapartes do Banco BPI ou a qualquer outra entidade, das ações que constituem o ativo subjacente, a transmissão dos direitos de voto inerentes a essas ações ou que o Banco BPI, deva exercer esses direitos de voto de acordo com instruções das suas contrapartes ou de qualquer outra entidade”, acrescenta o comunicado.

Recomendadas

Principal acionista do Haitong Bank conclui aumento de capital de 2,4 mil milhões

Comunicado do banco chinês reporta o aumento de capital da sua casa-mãe, numa estratégia de crescimento na China

PremiumBruxelas autorizou Novo Banco a financiar venda de imóveis

Na constituição do Novo Banco, a DG Comp da Comissão Europeia autorizou a instituição a conceder crédito aos compradores do imobiliário vendido pelo banco.

Responsabilidades do BES para com o Fundo de Pensões dos administradores vão ser extintas

A ASF autorizou a extinção das responsabilidades com pensões do ex-administradores executivos do BES.
Comentários