BPI é membro fundador do NEST – projeto-âncora do Programa Turismo 4.0

O BPI lidera a Linha de Apoio à Qualificação da Oferta – Turismo de Portugal, com uma quota de 23,6% do montante total de crédito enquadrado até 30 de junho de 2018. No âmbito desta linha, o BPI, em conjunto com o Turismo de Portugal, já financiou mais de 20 milhões de euros respeitantes a 37 projetos (27,8%).

O BPI é um dos membros fundadores do Centro de Inovação do Turismo (NEST), o projeto-âncora do Programa Turismo 4.0, iniciativa conjunta do Ministério da Economia, da Secretaria de Estado do Turismo e do Turismo de Portugal, anuncia o banco liderado por Pablo Forero em comunicado.

O NEST tem como missão promover a inovação na cadeia de valor do Turismo, apoiando o desenvolvimento de novas ideias de negócio e de experimentação de projetos e a capacitação das empresas no domínio da inovação e da economia digital.

A cerimónia de lançamento decorreu hoje, no Salão Nobre do Ministério da Economia, e contou com a presença do Ministro da Economia Manuel Caldeira Cabral e de Pedro Barreto, administrador do BPI.

“O BPI reconhece o setor do Turismo como estratégico para o crescimento e desenvolvimento da economia portuguesa. Esta orientação é visível na relação histórica de parceria com o Turismo de Portugal no lançamento de diversas linhas de crédito específicas e no reconhecimento das melhores PME do setor, distinguidas com o estatuto PME Líder, disse Pedro Barreto. O administrador do BPI acrescentou que “a aposta no NEST vem reforçar o apoio do BPI ao crescimento e desenvolvimento do setor do Turismo.”

O BPI lidera a Linha de Apoio à Qualificação da Oferta – Turismo de Portugal, com uma quota de 23,6% do montante total de crédito enquadrado até 30 de junho de 2018. No âmbito desta linha, o BPI, em conjunto com o Turismo de Portugal, já financiou mais de 20 milhões de euros respeitantes a 37 projetos (27,8%).

A atividade do NEST incluirá, numa primeira fase, o lançamento de uma Tourism Digital Academy, em parceria com a rede de escolas de turismo, o desenvolvimento de projetos internacionais de promoção da I&D no Turismo e parcerias com outros clusters setoriais relevantes para o turismo. Será ainda um espaço privilegiado para a experimentação de novos projetos, através do lançamento de Innovation Challenges junto dos stakeholders do setor, e para desenvolvimento de iniciativas de aceleração e incubação, em parceria com a rede de incubadoras já existente, explica o comunicado.

O Centro de Inovação do Turismo irá também permitir criar mecanismos de disseminação de boas práticas de inovação para os destinos regionais e locais. Esta entidade pretende posicionar Portugal como polo de referência internacional no que diz respeito ao empreendedorismo e desenvolvimento de soluções inovadoras para o setor do Turismo.

Ler mais
Recomendadas

PremiumAntónio Godinho: “A nossa lista para a Mutualista é a única que não tem arguidos”

Candidato que lidera a lista C nas eleições da Associação Mutualista Montepio Geral, que terminam esta sexta-feira, fala das prioridades e defende renovação. “Tomás Correia faz já parte do passado”, diz, em entrevista ao Jornal Económico,

PremiumMontepio vai lançar banco BEM para reforçar aposta nas PME

Carlos Tavares já tem nome e projeto para o banco de investimento da Caixa Económica. O Montepio Investimento vai passar a BEM – Banco de Empresas Montepio e será estruturado em três áreas.

Bancos e fintech: “Tem de haver igualdade de tratamento”, defendem BBVA e SoftFinança

Há espaço no setor bancário para os bancos e para as fintech. No entanto, os bancos podem oferecer serviços e produtos idênticos alavancados pela confiança que estabeleceram com os clientes.
Comentários