Brisa: tráfego aumentou 4,2% nos primeiros nove meses de 2018

Relatório enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) da concessionária rodoviária indica que esta subida é suportada por um forte crescimento orgânico. No período homólogo registou-se uma desaceleração do crescimento de 2,3%.

O tráfego rodoviário na rede concessionada à Brisa – Auto-estradas de Portugal aumentou 4,2% nos primeiros nove meses deste ano, face a igual período do ano passado, revelam os dados divulgados pela Brisa Auto-estradas de Portugal esta quarta-feira, 7 de novrmbro, através da  Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Esta evolução representa uma desaceleração de 2,3 pontos percentuais face á taxa de crescimento registada nos primeiros três trimestres do ano passado.

No que diz respeito ao tráfego médio diário, todas as autoestradas nacionais registaram taxas de crescimento positivas nos primeiros nove meses de 2018, com uma média de 21.087 automóveis em circulação, uma tendência que tem vindo a ser verificada nos últimos anos.

Das 11 autoestradas analisadas a A9 é aquela que permanece com uma taxa de crescimento elevada de tráfego médio diário (21.787 veículos), muito por culpa do IC17/CRIL. Já a A5 (70.130 automóveis) é aquela que mais circulação tem diariamente, durante o período em análise.

Relacionadas

Mobilidade é a aposta da Brisa na Web Summit

Empresa terá um stand no Pavilhão 3 com o objetivo de “maximizar oportunidades de negócio e dar a conhecer as novas soluções de mobilidade que a Brisa colocado no mercado, quer ao nível de serviços, com a marca Via Verde, quer através de soluções tecnológicas, com a marca A-to-Be”.
Recomendadas

Google suspende negócios com a Huawei após lista negra de Trump

A Huawei vai perder imediatamente acesso a atualizações do sistema operativo Android, e a próxima versão dos seus smartphones fora da China vai também perder acesso a aplicações e servios, incluindo o Google Play Store e o Gmail app.

Empresas do vinho do Porto satisfeitas com devolução de diploma sobre Casa do Douro

Criada em 1932 para defender os viticultores e a viticultura duriense na mais antiga região regulamentada e demarcada do mundo, a Casa do Douro foi perdendo atribuições até que a sua dimensão pública foi extinta em dezembro de 2014, no Governo PSD/CDS-PP, e a sua gestão entregue a uma organização privada, a Federação Renovação do Douro.

Cellnex e DST/Cube avançam para compra da fibra óptica da MEO

Há três candidatos que se preparam para avançar com propostas vinculativas para comprar a rede de fibra ótica da Meo. Entre eles a espanhola Cellnex e a DST em parceria com o Fundo Cube.
Comentários