Bruno de Carvalho rejeita suspensão e desafia contestatários a recorrer ao tribunal

A comissão de fiscalização nomeada pela mesa da assembleia geral demissionária do Sporting decretou a “suspensão preventiva com efeitos imediatos” do conselho diretivo do clube. Em declarações telefónicas à SIC Notícias, garantiu que vai trabalhar “normalmente” e desafiou quem contesta a atual situação a recorrer aos tribunais.

Bruno de Carvalho

Bruno de Carvalho rejeita a suspensão de funções como presidente do Sporting Clube de Portugal, anunciada pela comissão fiscalizadora do clube, e promete que a “guerra pelo poder” vivida na instituição vai ser decidida nos tribunais.

A comissão de fiscalização nomeada pela mesa da assembleia geral demissionária do Sporting decretou esta quarta-feira a “suspensão preventiva com efeitos imediatos” de Bruno de Carvalho e do conselho diretivo do clube.

O presidente do Sporting é acusado de violar os estatutos do clube e fica impedido de entrar em Alvalade.

Bruno de Carvalho reagiu na sua conta do Facebook, rejeitando a decisão a comissão de fiscalização: “É uma tomada de poder à força. Aqui está a golpada que estou a falar faz 2 semanas”.

Posteriormente, em declarações telefónicas à SIC Notícias, pôs em causa legitimidade da comissão de fiscalização, dizendo que “não existe” e garantiu que vai trabalhar “normalmente”.

Afirmou que quem contesta a atual situação terá de recorrer aos tribunais.