Bruxelas investiga concessões do Governo à EDP

Nessa altura, as concessões em causa foram atribuídas sem concurso público, pelo que Bruxelas interroga agora o Governo sobre os contratos celebrados entre o Governo e a EDP, em 2007.

Cristina Bernardo

A Comissão Europeia volta a investigar um eventual ‘auxílio de Estado’ às concessões atribuídas pelo Estado português à EDP, datadas de 2007, na altura do governo do ex-primeiro-ministro José Sócrates

Nessa altura, as concessões em causa foram atribuídas sem concurso público, pelo que Bruxelas interroga agora o Governo sobre os contratos celebrados entre o Governo e a EDP, em 2007.

Segundo uma investigação do ‘Diário de Notícias’ ‘online’, “o Governo tem até ao final de setembro para explicar à Comissão Europeia uma questão difícil: de que forma é que justifica que um Executivo anterior (o de José Sócrates, em 2007) tenha acordado diretamente com a EDP a renovação dos contratos de exploração de 27 barragens, sem qualquer tipo de concurso público”.

De acordo com o ‘Diário de Notícias’, “a direção-geral do Mercado Interno informou Nuno Brito, o representante permanente de Portugal junto da União Europeia, de que os serviços da Comissão precisam de esclarecimentos que contrariem uma “avaliação preliminar”, no sentido negativo.

Recomendadas

Danos reputacionais podem ser resolvidos pelo CIMPAS desde 1 de junho

Resolver litígios nos seguros em três meses é o objetivo do CIMPAS, o centro de arbitragem de seguros. Rute Santos, a diretora geral do organismo afirma que 70% dos conflitos ficam resolvidos. Os danos reputacionais podem ser alvo de reclamação no CIMPAS.

Negócio da nuvem cresce até 50% nas empresas de software

Empresários e gestores ligados às Tecnologias de Informação afirmam que já não há impedimentos à migração para ‘cloud’, tanto orçamentais, como de segurança.

PremiumFlixbus, a “Uber dos autocarros”, já tem 140 mil clientes em Portugal

A empresa só entrou em Portugal em 2017, mas já liga por autocarro mais de 20 cidades nacionais a mais de 50 destinos externos. Pablo Pastega quer a abertura do mercado de ‘Expressos’.
Comentários