Cabo Verde aprova programa com 5 milhões de euros para combate à seca e mau ano agrícola

Em conferência de imprensa, o porta-voz do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, explicou que o valor será distribuído por três áreas: pecuária e manutenção da capacidade produtiva com cerca de 882 mil euros, mobilização da água e a sua gestão 2 milhões de euros e criação de emprego 2,1 milhões euros.

O Governo cabo-verdiano aprovou um programa de 5 milões e 100 mil euros para combater a seca e o mau ano agrícola que atingiu o país no ano passado. O valor aprovado, no último Conselho de Ministros, destina-se a todas as ilhas do país, com incidência para os concelhos de Porto Novo, em Santo Antão, e os municípios do Tarrafal, São Miguel e Santa Catarina, na ilha de Santiago, os mais afetados pela seca.

Em conferência de imprensa, o porta-voz do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, explicou que o valor será distribuído por três áreas: pecuária e manutenção da capacidade produtiva com cerca de 882 mil euros, mobilização da água e a sua gestão 2 milhões de euros e criação de emprego 2,1 milhões euros.

De acordo com Fernando Elísio Freire, o Governo acredita que desta forma “está a atenuar os problemas no mundo rural e a manter a produção agrícola em níveis que possam satisfazer as necessidades das famílias e da população”.

Comparando o programa de mitigação da seca de 2018 com o de 2019, Fernando Elísio Freire aponta que no deste ano “todos os procedimentos serão os menos burocráticos possíveis e com um conjunto de medidas, tomadas a nível do Orçamento do Estado, que têm a ver com a melhoria da capacidade de produção agrícola, da aquisição de equipamentos agrícolas e de produção na área da pecuária”.

O representante do Conselho de Ministros aponta que o governo está a agir “em tempo e com medidas estruturantes” e que este ano a situação agrícola do país é muito melhor porque no ano passado foram tomadas medidas para atenuar a situação no mundo rural. Porém, reconheceu, que há um “conjunto de fatores que não se consegue controlar porque a questão da seca é muito profunda e mexe com a vida de muitas famílias”.

A seu ver, o programa de mitigação da seca do ano passado foi “um programa de sucesso”, embora o sucesso não significa que foi a 100 %, porque há sempre aspetos a melhor, entre os quais a distribuição dos vales cheque para compra de ração para os animais, que mereceu critica dos criadores de gado, que o Executivo cabo-verdiano está disposto a rever.

O financiamento do programa de mitigação da seca será feito com recursos internos do Estado e a remanescente por via ao financiamento externo, referiu ainda Fernando Elísio Freire.

Depois da severa seca de 2017, o ano passado o tempo seco atingiu também todas as ilhas, mas com menos gravidade em algumas regiões deste país africano.

Ler mais
Recomendadas

Hoje há debate quinzenal com o primeiro-ministro sobre políticas ambientais e de valorização do território

Na agenda parlamentar de hoje destacam-se também o debate preparatório do Conselho Europeu e o debate com a participação do Governo sobre os instrumentos de governação económica da União Europeia. A próxima reunião do Conselho Europeu vai realizar-se nos próximos dias 20 e 21 de junho, para tomar decisões sobre as nomeações para o novo ciclo institucional e para adotar a Agenda Estratégica 2019-2024.

G20 cria estrutura para sensibilizar sobre plástico nos oceanos

Ministros da Energia e do Meio Ambiente acordaram em criar uma estrutura internacional que sensibilize os países membros para a necessidade de reduzir o plástico nos oceanos.

Quercus denuncia à UNESCO “ameaça severa” no Barroso por causa do lítio

Para a associação ambientalista, a instalação de minas de lítio a céu aberto na região é uma ameaça severa à integridade do sistema agro-silvo-pastoril da região do Barroso”.
Comentários