Cabo Verde Fast Ferry recebeu proposta de compra e de injeção de 5 milhões de euros

Nos últimos anos, a CVFF, detentora dos navios Liberdadi, Praia d’Aguada e Kriola, tem passado por uma situação financeira complicada. A empresa está em falência técnica com uma divida acumulada de 5 milhões e meio de euros, que a deixou fora do concurso de concessão única do transporte marítimo inter-ilhas.

A Cabo Verde Fast Ferry (CVFF), empresa que estabelece ligação marítima, recebeu uma proposta de aquisição e de injeção de capital de 5 milhões de euros, bem como garantia de liquidação dos 13 milhões de euros de empréstimos obrigacionistas.

A informação é avançada pela “Radio de Cabo Verde”, que ainda refere que a proposta vai ser analisada durante a Assembleia Geral de acionistas, que acontece no próximo dia 16 de outubro.

A proposta é de liquidação, em julho do próximo ano, da primeira tranche do empréstimo obrigacionista de cerca de um milhão e 900 mil euros e as próximas serem pagas mediante os termos do acordo, avaliados em mais de 10 milhões de euros.

Segundo a mesma fonte, os compradores da Fasty Farry estão interessados na compra das ações do Estado, que é o acionista maioritário, e em injetar 5 milhões de euros para relançar a empresa e ainda entrar no sector dos transportes marítimos em parceria com privados nacionais.

Nos últimos anos, a CVFF, detentora dos navios Liberdadi, Praia d’Aguada e Kriola, tem passado por uma situação financeira complicada. A empresa está em falência técnica com uma divida acumulada de 5 milhões e meio de euros, que a deixou fora do concurso de concessão única do transporte marítimo inter-ilhas que fechou na última sexta-feira.

Recomendadas

Primeiro-ministro cabo-verdiano fala em “sucesso” na deslocação a Paris

“Cabo Verde precisa do apoio dos seus parceiros, muitos tradicionais e outros novos, para deixarmos de ter mais necessidade de ajuda num futuro que queremos construir com mais sustentabilidade”, referiu.

Cabo Verde: Parceiros mobilizam 850 milhões de euros em fórum de investimento

Será para o chefe do executivo cabo-verdiano, o valor será para financiamento do plano do Desenvolvimento Sustentável e foi mobilizado junto de parceiros como o BIDC, o FIDA, o BM, o BAB, o BADEA, PNUD e Luxemburgo.

Primeiro-ministro de Cabo Verde repudia especulação sobre remodelação governamental

Em entrevista ao Jornal Económico Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde, falou das prioridades do seu governo.
Comentários