Cabo Verde quer desporto como apoio do turismo

Os I Jogos Africanos de Praia Sal 2019, o maior evento jamais realizado em Cabo Verde, e que se aguardam com muita expectativa, trarão para o país, mais concretamente para a ilha turística, cerca de mil atletas e 500 oficiais, oriundos de 54 países africanos.

futebolO presidente da Câmara de Turismo de Cabo Verde quer que o desporto seja um vetor de negócio do turismo e apela aos operadores turísticos a aderirem e fazerem dos Jogos Africanos de Praia um evento de referência mundial. Gualberto do Rosário lançou esse apelo no encontro com os operadores turísticos no Sal, a que presidiu esta terça-feira, na cidade de Santa Maria, promovido pelo Comité Organizador dos Jogos Africanos de Praia (COJAP), juntamente com a Câmara de Turismo.

Gualberto do Rosário vê a realização da competição de Praia, que terá lugar de 14 a 23 de junho, uma oportunidade de negócios para Cabo Verde e todos que atuam no ramo e não só. “Temos no desporto um dos vetores fundamentais da actividade turística em Cabo Verde. Esta é a nossa perspetiva. E, Cabo Verde, de uma forma geral, e a ilha do Sal em particular, reúne ótimas condições para a prática de determinadas modalidades desportivas”, acentuou, acrescentando, entretanto, que embora não tão convencionais como o futebol e outras, são “extremamente importantes”.

“E é neste sentido que queremos apelar a todos os nossos associados para aderirem a este evento, cada um à medida das suas potencialidades e possibilidades para fazer este evento, de facto, uma referência mundial, que possa ser um elemento de marketing não só do turismo, mas das oportunidades no domínio do desporto”, manifestou.

Também em poucas palavras, e considerando Cabo Verde uma “mina de ouro”, a presidente da COJAP, Filomena Fortes, disse que, por isso, deve ser explorada convenientemente. “Esse é um projeto de Cabo Verde. Todos deverão fazer parte deste projecto. Ajudem-nos a colocar Cabo Verde no mundo, no mapa”, exteriorizou, dirigindo-se desse jeito aos operadores turísticos presentes no encontro.

Filomena Fortes explicou que o apelo ao engajamento dos operadores vai no sentido, não só na divulgação do evento, mas também de ajudarem na questão do “merchandising”, limpeza das praias ao redor, e da própria sustentabilidade dos jogos, para que possam decorrer da melhor forma.

Os I Jogos Africanos de Praia Sal 2019, o maior evento jamais realizado em Cabo Verde, e que se aguardam com muita expectativa, trarão para o país, mais concretamente para a ilha turística, cerca de mil atletas e 500 oficiais, oriundos de 54 países africanos.

Sob a égide da Associação de Comité Olímpicos Nacionais Africanos (ACNOA), tendo Cabo Verde ganho a candidatura para a organização dos mesmos, os Jogos Africanos de Praia Sal 2019, contemplam 11 modalidades ligadas ao mar, nomeadamente atletismo, basquetebol 3×3, andebol de praia, ténis de praia, futebol de praia, remo no mar, futebol freestyle, karaté kata, kitesurf, e natação em águas abertas.

Estima-se que, por essa altura, estarão no país cerca de duas mil pessoas ligadas aos jogos, entre atletas, dirigentes, desportivos e respectivas comitivas, bem como jornalistas de vários países do mundo.

Ler mais
Recomendadas

Portugal concede moratória a Cabo Verde e a São Tomé e Príncipe sobre empréstimos diretos

A adoção desta medida de suspensão do pagamento de capital e juros vai determinar uma negociação, até setembro, de acordos de moratória com estes dois países africanos de língua oficial portuguesa, e o estabelecimento de novo plano e condições de empréstimos, refere o Governo.

Banco de Cabo Verde prevê vender sede e edifícios por mais de 3,2 milhões de euros

A administração do Banco de Cabo Verde (BCV) esclareceu esta segunda-feira que a venda da atual sede e mais dois edifícios na Praia será feita por mais de 3,2 milhões de euros, conforme avaliação de peritos aos imóveis.

Cabo Verde Airlines em risco de desaparecer

O vice-primeiro-ministro cabo-verdiano, Olavo Correia, afirmou que, sem a intervenção do Estado, a Cabo Verde Airlines (CVA) “desaparecerá”.
Comentários