Cadeia RIU ignora Brexit e compra hotel por 250 milhões de euros em Londres

A rede hoteleira espanhola Riu Hotels & Resorts comprou o primeiro hotel no Reino Unido para aproveitar o crescimento do turismo na capital Londres.

Londres, Inglaterra

Numa altura em que várias empresas abandonam o Reino Unido devido à saída do país da União Europeia, a cadeia RIU Hotels & Resorts expande a sua atividade para a capital londrina numa demonstração clara de confiança na economia britânica.

“Se fosse uma operação de alto risco não nos teríamos aventurado”, garantiu o administrador Joan Trian ao jornal espanhol Expansion que avança a notícia. “Estamos dependentes da situação politica e económica, mas no caso de Londres acreditamos que a sua fama mundial e o seu posicionamento vão proteger a sua indústria turística”.

O grupo RIU pagou ao fundo Columbia Threadneedle, 250  milhões de euros pelo hotel de quatro estrelas, equipado com 350 quartos.

Localizado nas imediações da estação ferroviária Londres Victoria, o hotel terá a insígnia dos hotéis urbanos do grupo: Plaza RIU

Fundada em Maiorca em 1953, como um pequeno negócio de férias da família que lhe dá o nome, a cadeia internacional RIU conta com mais de 100 hotéis em 19 países que recebem anualmente à volta de quatro milhões de clientes. A RIU é a 30ª maior cadeia hoteleira do mundo, uma das principais das Caraíbas e a terceira de Espanha.

 

Ler mais
Recomendadas

Leia aqui o Jornal Económico desta semana

Leia todas as edições do Jornal Económico, na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o Jornal Económico. Apoie o jornalismo independente.

PremiumEndesa de olho nas barragens da EDP

Nuno Ribeiro da Silva está atento aos ativos que a EDP vier a colocar à venda no mercado, incluindo as barragens, eólicas e redes de distribuição. O líder da Endesa critica o modelo da tarifa social em vigor.

PremiumPatrick Monteiro de Barros: “Berardo foi financiado pela estratégia de domínio do BCP de Sócrates”

Empresário e ex-acionista do Grupo Espírito Santo diz que “Joe Berardo foi financiado para adquirir ações do BCP e fazer parte de um núcleo que iria dominar o banco na linha imposta pelo primeiro-ministro de então”.
Comentários