Cafôfo defende criação de rede para apoiar crianças que saem das instituições

Paulo Cafôfo considera necessário criar redes com equipas multidisciplinares, que façam a reabilitação da família e que deem o suporte que os jovens necessitam.

O candidato do PS-Madeira à presidência do Governo Regional defendeu hoje, durante uma visita à Fundação Cecília Zino, que é preciso criar “uma articulação e uma rede para que estas crianças, quando atingem os 18 anos, possam ter um suporte necessário lá  fora que tiveram cá dentro”.

Esta é uma instituição que presta ação social e educativa a crianças em contextos familiares desfavorecidos.

Paulo Cafôfo considera necessário criar redes com equipas multidisciplinares, que façam a reabilitação da família e que deem o suporte que os jovens necessitam. “Aqui faltam as residências de assistência que podiam ser uma boa forma de enquadramento numa vida normal, de percurso de vida, em que possa haver esta transição”.

O candidato socialista destacou também o facto de esta fundação estar a olhar para o futuro em questões como a saúde mental e o alcoolismo. “Aquilo que compete ao Governo Regional é criar as condições para que estes projetos se possam desenvolver, apoiando e trabalhando em rede para a felicidade das crianças que aqui estão, mas também nestas outras valências no que diz respeito à saúde mental e ao alcoolismo, que são problemas cada vez mais presentes e que importa dar resposta”.

Recomendadas

Universidade da Madeira abre 635 vaga. Artes e Humanidades com maior oferta

O curso de Engenharia Informática é o que disponibiliza mais vagas. Para além das 635 vagas da Universidade da Madeira, é preciso acrescentar as ofertas da Escola Superior de enfermagem de São José de Cluny, que disponibiliza um curso, e também os cursos abertos pelo Instituto Superior de administração e línguas, que abre vagas em três cursos.

Madeira: BE diz que foi precursor da implementação do Orçamento Participativo

O grupo parlamentar do BE critica o PSD por ter rejeitado a proposta de Orçamento Participativo apresentada pelos bloquistas na Assembleia Regional, e o Governo Regional por indecentemente se ter apropriado de uma iniciativa que não é sua.

Cafôfo defende capacitação das pessoas no combate à pobreza

O candidato do PS diz não ser favorável ao assistencialismo, afirmando que “temos de criar um plano de intervenção para combate à pobreza e à exclusão, mas que possa capacitar as pessoas, de modo a que possam ter a dignidade que merecem de autogovernar-se”.
Comentários