Cafôfo é o candidato socialista na Madeira e promete “coligação com sociedade civil” se ganhar

O agora autarca no Funchal estabeleceu como prioridades a aposta na economia tornar a Madeira mais competitiva, investir na edução e na saúde.

Paulo Cafôfo, o independente que é presidente da câmara do Funchal e que será candidato do PS às regionais da Madeira em 2019, prometeu este sábado que, se vencer, fará “uma coligação com a sociedade civil”.

“Vamos ganhar 2019. Ao ganharmos, ganhamos todos”, afirmou Paulo Cafôfo ao 22º Congresso do Partido Socialista, onde falou como convidado do PS/Madeira, apesar de não ser militante do partido.

Sublinhando que luta por uma região diferente, Paulo Cafôfo disse que o desafio não é apenas seu, nem do PS, “é de todos os madeirenses”.
O agora autarca no Funchal estabeleceu como prioridades a aposta na economia tornar a Madeira mais competitiva, investir na edução e na saúde.

Dirigindo-se ao líder socialista, António Costa, que cumprimentou, Cafôfo afirmou: “Quero que fiques na História como o secretário-geral que levou o PS, pela primeira vez, a vencer as eleições regionais da Madeira.”

Relacionadas

Francisco Assis quer PS a governar sozinho, sem entendimentos preferenciais

“A solução [de Governo] é má, mas o primeiro-ministro é bom. Imagino o grande primeiro-ministro que poderás ser sem esta limitação da geringonça”, disse Francisco Assis, dirigindo-se a António Costa.

Daniel Adrião apresenta lista à Comissão Nacional

Será o próprio Daniel Adrião, que obteve 4% nas diretas frente ao secretário-geral socialista, António Costa, a encabeçar a lista.

PS: Alegre adverte que viragem à direita representaria risco de morte do partido

“O PS não pode inverter o caminho atual. Uma viragem à direita representaria um risco de morte para o PS, porque o Bloco Central empobrece a democracia e o ‘centrão’, hoje, ou em qualquer lado do mundo, significa empobrecimento do sistema e a ascensão do populismo”, advertiu o ex-candidato presidencial.

“Isto não é radicalismo, é ser socialista”, diz Pedro Nuno Santos

O dirigente socialista Pedro Nuno Santos fez hoje a defesa da solução governativa do PS e considerou que defender o serviço público “não é radicalismo, é ser socialista”.
Recomendadas

Ministro da Economia pela primeira vez no Modtissimo

Manuel Caldeira Cabral vai estar no mais antigo certame ibérico do setor, que este ano espera mais de 400 compradores internacionais.

Autoestradas nacionais: uma rede a funcionar ao contrário

Um estudo da Associação Comercial do Porto afirma que a rede é ineficiente, cara e não serve os propósitos da sua criação. O Governo parece estar de acordo.

Nuno Amado: “Taxas de juro do crédito no último ano demonstram que a concorrência foi normalizada em Portugal”

Em entrevista ao jornal “Público” o agora presidente não executivo do BCP fala das mudanças no banco e também da exposição que os bancos portugueses tiveram no mercado internacional.
Comentários