Caixa e Bank of China assinam protocolo para emissão de ‘panda bonds’ de Portugal

O Bank of China assinou também “facilidades de crédito dadas à CGD para exportadores portugueses, que necessitem de garantias na China”, de acordo com a informação transmitida pelo presidente do banco público.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) e o Bank of China vão assinar um protocolo para estruturar e colocar uma emissão de panda bonds de Portugal. A notícia é avançada pela agência Reuters esta quarta-feira, citando declarações do presidente do banco público.

Num encontro entre Xi Jinping e António Costa, Paulo Macedo disse que as duas entidades bancárias têm vindo a trabalhar “na estruturação e emissão de dívida pública portuguesa em renminbis – os panda bonds”.

“Este protocolo vem formalizar todos os esforços e compromissos de desenvolver, estruturar naquilo que é a organização da operação, a sua estruturação e depois colocação”, disse o CEO da CGD. Segundo Paulo Macedo, o acordo ainda não tem uma data definida mas deverá avançar “em breve”.

O Bank of China assinou também “facilidades de crédito dadas à CGD para exportadores portugueses, que necessitem de garantias na China”, de acordo com a informação transmitida pelo presidente da Caixa.

Relacionadas

Emissão de dívida em moeda chinesa avança até junho

Portugal prepara-se para colocar 377 milhões de euros em Obrigações em renminbi para alargar a base de investidores. A data exata irá depender das condições de mercado, do apetite dos investidores e das necessidades de financiamento do país.

OE2019: Juros das ‘panda bonds’ vão ficar isentos de pagar IRS

Governo irá propor ao Parlamento benefícios fiscais para os investidores estrangeiros que comprem dívida pública portuguesa emitida em moeda chinesa. Em julho, Centeno disse que a preparação da primeira colocação destes ativos está em fase final.
Recomendadas

BES. Solução para sucursais exteriores pode abranger cerca de 300 pessoas

Em declarações à Lusa, António Borges, presidente da direção da entidade, congratulou-se por, “finalmente, o Governo ter enquadrado os restantes lesados numa solução”, depois de um comunicado do gabinete do primeiro-ministro ter revelado que o Governo propôs às associações de lesados das sucursais exteriores do BES uma solução semelhante à do Banif, que prevê a delimitação de lesados não qualificados com vista à criação de fundo de recuperação.

BPI vai sair de bolsa a 1,47 euros, dois cêntimos acima da proposta do CaixaBank

CaixaBank vai pagar 1,47 euros por cada ação aos acionistas do BPI. Nos próximos três meses haverá uma ordem permanente de compra, permitindo aos acionistas do BPI venderem as suas ações ao grupo bancário espanhol.

Sindicato dos Quadros e CGD chegam a acordo para aumento salarial de 0,75%

O Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários concluiu revisão salarial do acordo de empresa com a CGD. O pagamento será feito em dezembro, com efeitos a 1 de janeiro de 2018.
Comentários