Câmara de Cascais quer criar plano para reflorestar Parque Natural

A autarquia de Cascais quer criar uma Zona de Intervenção Florestal (ZIF) no Parque Natural Sintra-Cascais para reflorestar a área ardida no incêndio de 2018 e recuperar a atividade agrícola na zona, foi esta sexta-feira, 1 de agosto, anunciado.

O Parque Natural Sintra-Cascais foi afetado por um incêndio florestal em outubro de 2018, que consumiu perto de 500 hectares.

Quase um ano depois deste incêndio, o município de Cascais, no distrito de Lisboa, pretende iniciar um processo para a criação de uma ZIF, que, segundo a autarquia, “será essencial para estabelecer um novo ordenamento e recuperar alguma da biodiversidade que ali existiu”.

“Os sucessivos fogos que têm ocorrido foram modelando a paisagem, que, embora seja uma área protegida, do ponto de vista da biodiversidade deixa a desejar”, apontou à agência Lusa o presidente do conselho de administração da empresa municipal Cascais Ambiente, Luís Capão.

O responsável explicou que a maioria dos terrenos inseridos no Parque Natural pertencem a privados, sendo por isso objetivo da autarquia envolvê-los no projeto.

“A criação de uma ZIF permitirá agregar os vários proprietários sob uma única entidade. Queremos ouvi-los e que nos ajudem neste processo”, sublinhou, acrescentando que “este ganho de escala será uma porta aberta aos fundos comunitários”.

Antes de dar esse passo, a Câmara de Cascais vai apresentar publicamente o Plano de Paisagem que elaborou, num horizonte de 20 anos , onde pretende identificar usos e funções do território, ordenar acessos e normas de utilização dos espaços, enunciar medidas de proteção local e monitorizar a evolução da fauna e da flora.

A inspiração para este plano, segundo referiu Luís Capão, surgiu de cartografias antigas do Parque Natural, onde predominavam as áreas agrícolas e de pastorícia.

“A área protegida ganha, assim, maior resiliência, garantindo mais segurança às comunidades locais e visitantes e facilitando a vigilância e o combate a incêndios”, atestou.

Luís Capão referiu que a autarquia perspetiva concluir o processo de criação da ZIP até ao próximo ano.

A Câmara Municipal de Cascais vai promover esta noite uma primeira sessão de esclarecimento público, estando prevista a realização de mais duas.

Ler mais
Recomendadas

Passes, energia renovável e eficiência. Os truques de Medina para combater as alterações climáticas

“Olhando para os dados, os últimos anos foram os mais quentes de que há registo”, afirmando que esta é uma das realidades mais visíveis no nosso país, que tem enfrentado secas extremas, incêndios e cheias.

Alterações climáticas: Lisboa ameaçada por cheias, seca, subida do nível do mar e calor excessivo

“A erosão continua, o calor excessivo aumenta, a seca meteorológica vai aumentar na zona de Setúbal e as cheias vão atacar o Tejo”, especialmente na região em que o Governo está a planear construir o aeroporto do Montijo, alerta especialista.

Habitantes do Tejo e Sado em risco de ficar debaixo de água

As consequências mais relevantes para a vida das populações no Tejo e no Sado serão as alterações nas zonas ribeirinhas e os problemas de saúde que se vão verificar por causa das ondas de calor cada vez mais frequentes e extremas.
Comentários