Candidato conservador à presidência da Comissão Europeia defende medidas migratórias mais duras

Weber, que deseja suceder a Jean-Claude Juncker na liderança do executivo comunitário, enalteceu a diversidade do continente europeu, salientando, porém, que existe um aspeto que é comum na Europa: “É baseada no cristianismo e orgulhamo-nos disso”.

O candidato do Partido Popular Europeu (PPE) ao cargo de presidente da Comissão Europeia (CE), o alemão Manfred Weber, defendeu hoje na Bulgária medidas mais rigorosas contra a imigração ilegal.

“O Estado deve derrotar os traficantes de seres humanos na luta contra a imigração ilegal”, afirmou o conservador Manfred Weber, durante uma ação de campanha na capital búlgara, Sófia, que também serviu para manifestar o seu apoio ao partido no poder Cidadãos para o Desenvolvimento Europeu da Bulgária (GERB, conservador) nas eleições europeias da próxima semana.

As palavras que Weber dedicou à imigração ilegal, um dos assuntos que mais preocupam o eleitorado búlgaro, foram aplaudidas de forma entusiasta pelos cerca de 14 mil apoiantes do GERB presentes na iniciativa eleitoral, conforme relataram as agências internacionais.

A Bulgária foi um dos primeiros países a assumir uma linha dura contra a migração em massa para a Europa, ao ter erguido um muro de arame farpado na fronteira com a Turquia para impedir a entrada de migrantes.

O país também foi um dos primeiros a testemunhar a formação de um Governo de coligação com um partido de extrema-direita de retórica racista.

Na sua intervenção, Weber, que deseja suceder a Jean-Claude Juncker na liderança do executivo comunitário, enalteceu a diversidade do continente europeu, salientando, porém, que existe um aspeto que é comum na Europa: “É baseada no cristianismo e orgulhamo-nos disso”.

As eleições europeias são realizadas de 23 a 26 maio nos 28 países da União Europeia (UE).

Ler mais
Recomendadas

Merkel volta a ter tremores

O novo episódio de tremores está a acentuar as preocupações em torno do seu estado de saúde, numa altura em que Berlim enfrenta uma onda de calor.

Primeiro-ministro de Cabo Verde: “Não queremos criar modelo de turismo que aumente zonas de barracas”

Ulisses Correia e Silva disse que o governo cabo-verdiano está a investir 1,8 milhões de contos para dar qualidade e dignidade às zonas de barracas nas ilhas da Boavista e do Sal.

Mette Frederiksen é a cara do novo governo de coligação na Dinamarca

Partido Social-Democrata da Dinamarca anunciou ontem um acordo com três partidos do centro-esquerda para formar um governo minoritário, com um programa assente na ecologia e proteção social, mas também no controlo da imigração.
Comentários