Carga fiscal faz com que lucros da REN caiam 5% situando-se nos 86,3 milhões de euros

O EBITDA (resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) foi de 368 milhões, o que representa uma queda de 2,7% face ao período homólogo, segundo a REN.

A Redes Energéticas Nacionais acumulou um resultado líquido de 86,3 milhões de euros até setembro, menos 5% nos primeiros nove meses deste ano, comparativamente ao período homólogo. Relativamente ao resultado líquido recorrente, a REN totalizou 110,7 milhões de euros, menos 1,6%, informa a nota divulgada pela CMVM, esta sexta-feira.

A carga fiscal foi o que mais impulsionou estes resultados, “que se traduziu numa taxa efetiva de imposto de 39,5%, com a Contribuição Extraordinária para o Setor Elétrico (CESE) a representar 24,4 milhões de euros”, justificou a empresa liderada por Rodrigo Costa em comunicado.

No que toca aos lucros antes de impostos, amortizações e depreciações (EBITDA), estes acumularam 368,0 milhões de euros, menos 2,7%. “Como esperado, a evolução deste indicador decorre da descida das taxas de remuneração, em resultado da redução das taxas de juro das Obrigações de Tesouro e da Base de Ativos Regulada”, explica.

“Os resultados financeiros (-39,4 milhões) contribuíram para uma melhoria dos resultados da empresa, tendo beneficiado da diminuição da dívida líquida (-57,4 milhões) e da contínua redução do custo médio da dívida (2,2% nos 9M19, versus 2,3% nos 9M18)”, lê-se na nota.

Apesar de tudo, este ano a REN pagou menos impostos (0,9%) comparativamente ao ano anterior, ascendendo a 42,0 milhões de euros, o que elevou a taxa efetiva de imposto para 39,5%.

Recomendadas

IMT proíbe circulação de veículos ferroviários sem controlo de velocidade (Convel)

No início desta semana, administração da IP revelou que tem uma solução credível, proposta pela Critical Software. Órgão regulador do setor dos transportes “requereu uma avaliação urgente da viabilidade da solução e, caso viável, a consequente implementação igualmente urgente”.

NBA lança-se no mundo das apostas com o serviço NBABet Stream

Com a legalização das apostas desportivas nos EUA em 2018, a NBA torna-se a primeira grande liga desportiva dos EUA a atacar o mercado.

Siza Vieira sobre a possibilidade de adeptos nos estádios: “É mais importante que os jogos se realizem em segurança”

“É mais importante garantirmos a segurança de que as atividades se realizem sem percalços e com limitações do que permitir flexibilidade e depois ter de voltar atrás”, realçou o ministro à margem da conferência sobre o ‘Futebol Profissional e Economia Pós Covid-19’ que decorreu em Oeiras.
Comentários