‘Caribe’: Capital venezuelana cria moeda só para comprar alimentos

Notas de “caribes” de 5, 10, 20, 50 e 100 podem ser utilizadas apenas na feira de alimentação com preços subsidiados.

Carlos Garcia Rawlins / Reuters

A câmara municipal de Caracas, na Venezuela criou uma moeda própria denominada “caribe” para fazer frente à falta de dinheiro e à desvalorização do bolívar venezuelano, devido à hiperinflação que está a afetar os venezuelanos, informou a revista “Exame”, do Brasil. A moeda foi lançada no passado domingo, dia 15.

Todas as notas de 5, 10, 20, 50 e 100 só poderão ser usadas na feira de alimentação, com preços subsidiados e organizados pelo município, de acordo com declarações da presidente da câmara Érika Farías. Cada “caribe” equivale a 1.000 bolívares (81 euros).

Os venezuelanos enfrentam uma hiperinflação que de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) deverá atingir os 13.000% no ano de 2018. O governo de Nicólas Maduro atribuiu estes acontecimentos às “máfias” que fazem contrabando com papel-moeda, embora os analistas acreditem que todo este processo se deve à incapacidade de imprimir notas ao ritmo da inflação que está fora de controlo.

Recomendadas

Ifo antecipa crescimento estável da zona euro de 0,4% no quarto trimestre

Segundo os economistas do Ifo, o principal motor de crescimento da economia até ao final do ano será o investimento, com as empresas a aproveitarem “as ainda favoráveis condições de financiamento e procura sólida”.

António Costa sobre o Brexit: “Em outubro tem de haver acordo final”

O primeiro-ministro assumiu que houve “avanços positivos” relativamente às propostas que Theresa May apresentou em Chequers.

Marcelo recebe taxistas na segunda-feira

O Presidente da República vai receber na próxima segunda-feira as reivindicações dos taxistas.
Comentários