Carros da Tesla produzidos na China começam esta terça-feira a ser enviados para Portugal e outros países europeus

Os veículos com destino ao porto de Zeebrugge deverão chegar a terras belgas no final de novembro.

A Tesla vai começar esta terça-feira a enviar os automóveis elétricos produzidos na China para a Europa, segundo noticia a imprensa chinesa. No total são cerca de 7 mil Model 3, fabricados na gigafactory de Xangai, que serão encaminhados para Portugal, Alemanha, França, Itália, Holanda, Portugal, Suíça, Suécia e Bélgica.

Os veículos com destino ao porto de Zeebrugge deverão chegar a terras belgas já no final do próximo mês de novembro, de acordo com as informações do jornal “The Paper”, citadas pelos meios de comunicação internacionais.

Em causa está parte dos 143.036 veículos produzidos pela marca no terceiro trimestre deste ano, depois de ultrapassados os problemas no fabrico. A multinacional liderada por Elon Musk avançou ainda que a capacidade de produção do Model 3 na fábrica de Xangai atingiu as 250 mil unidades por ano desde a sua inauguração.

O lucro da Tesla teve uma subida homóloga de mais de 200% no terceiro trimestre de 2020, para 331 milhões de dólares (perto de 280 milhões de euros). A empresa norte-americana gerou receitas de 8,77 mil milhões de dólares (cerca de 7,43 mil milhões de euros), quando a expectativa do mercado apontava para apenas 8,36 mil milhões de dólares (aproximadamente 7,08 mil milhões de euros). Já as entregas trimestrais dispararam para 139.300 veículos.

Porém, na semana passada os reguladores chineses informaram que a Tesla está a fazer a chamada às oficinas (recall) de até 48.442 dos seus Model S e Model X produzidos nos Estados Unidos e vendidos a clientes na China, devido a suspensões dianteira e traseira potencialmente defeituosas e inseguras.

Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários