Carros em Portugal são os mais velhos de sempre e superam média da UE

A Associação do Comércio Automóvel de Portugal considera a situação preocupante e aponta o fim dos incentivos ao abate de viaturas e a crise económica com os principais motivos para esta quebra.

Cristina Bernardo

A idade média dos automóveis ligeiros de passageiros em Portugal aumentou para o valor mais elevado de sempre, superando a média europeia. A Associação do Comércio Automóvel de Portugal (ACAP) considera a situação preocupante e aponta o fim dos incentivos ao abate de viaturas e a crise económica com os principais motivos para esta quebra, avança o “Jornal de Negócios”.

Desde 2000, a idade média das viaturas passou de 7,2 anos para 12,6 anos. No entanto, a tendência de envelhecimento em Portugal já vem de trás: em 1995, a idade média dos ligeiros de passageiros cifrava-se em apenas 6,1 anos. O envelhecimento do parque automóvel de Portugal coloca Portugal mais perto dos valores registados nos países de Leste do que da Europa Ocidental.

A idade média dos veículos comerciais é ainda mais avançada: 13,7 anos. Já nos pesados de mercadorias é de 14,7 anos e nos pesados de passageiros ascende a 14,8 anos. A ACAP defende que o regresso dos incentivos ao abate de viaturas para fazer “um choque de renovação no parque automóvel” e trazem benefícios ao nível “quer do impacto no ambiente, com a substituição de veículos mais poluentes por outros mais ‘verdes’, quer em termos de segurança rodoviária”.

Recomendadas

Conselho Europeu aprova mecanismo de apoio comum para o Fundo Único de Resolução

Em dezembro, os líderes europeus acordaram os termos de referência do mecanismo de apoio comum ao FUR, podendo este ser implementado antecipadamente desde que tenham sido realizados progressos suficientes na redução dos riscos, a avaliar em 2020.

Governo nega protesto diplomático de Angola por incidentes no Bairro da Jamaica

Santos Silva concluiu que se houver um pedido de esclarecimentos, os mesmos serão “evidentemente prestados”.

Continental Mabor pede aos Correios para não fechar posto de Lousado

Pedro Carreira, responsável da quarta maior exportadora em Portugal, está preocupado com o efeito de um eventual encerramento do posto de Correios em Lousado.
Comentários