Casa da Esteira Reserva tinto 2014: Uma estreia auspiciosa

Vem do Douro, da região de Tabuaço, em boa hora, uma nova marca de vinhos para enriquecer as nossas almas, agora que o frio se tem apresentado com mais rigor. Trata-se da Casa da Esteira, uma nova marca da produtora Parceiros Na Criação (PNC), de vinhos e de azeites, pela mão do casal João Nápoles de Carvalho e Joana Pratas.

Na verdade, os vinhos e os azeites da PNC já se encontravam no mercado nacional desde 2013, mas este projeto familiar deu agora um ambicioso salto, com o lançamento oficial da marca Casa da Esteira a ter decorrido na passada terça-feira, numa garrafeira de Telheiras, em Lisboa (Wines 9297).

“Casa da Esteira: é este o nome que elegemos para a nova marca Parceiros Na Criação, empresa de vinhos e azeites do Douro, até agora detentora da marca h’OUR. Casa da Esteira: assim é conhecida a casa onde vivemos, uma casa cujas portas são protegidas do Sol por esteiras; uma casa erguida por entre vinhas e vales, na Quinta da Montravesso, a poucos quilómetros da aldeia de Barcos, no concelho de Tabuaço, em pleno Douro vinhateiro. Mais do que um espaço físico, a Casa da Esteira representa a união dos quatro elementos do PNC: o João, a Joana (eu) e os nossos filhos, a Teresinha e o António”, afirma Joana Pratas.

Para estrear com votos de bom augúrio à nova marca, escolhemos o Casa da Esteira Reserva tinto, de 2014. Produzido 100% em vinhas velhas, resultando da mescla de cerca de uma dezena de castas, saiu do xisto e foi vindimado à mão, transportado em caixas de 20 quilos. As uvas foram cuidadosamente escohidas na receção na adega, desengaçadas e ligeiramente esmagadas antes da entrada no lagar. Segundo a PNC, “toda a maceração pelicular é efetuada através da tradicional pisa a pé, respeitando a tradição do Douro”. Depois, a fermentação alcoólica foi gerida pelo controlo da temperatura, “que aos 24º permite obter um aroma elegante”. A fermentação decorreu em cuba de inox, seguindo-se um estágio em barricas usadas de carvalho francês por um período de 15 meses.

O vinho, complexo, apresenta uma cor rubi, densa, e um aroma a fruta madura com laivos de tosta. Uma marca desta nova casa é a elegância e o refinamento dos vinhos, tão importante quanto a sua estrutura equilibrada. Há fruta, há mineral, há textura. E um aveludado q.b. Prevê-se uma boa evolução em garrafa, se mantivermos disciplina e parcimónia para lhe darmos o devido tempo de guarda.