Cautela e espera pela Fed limitam ganhos em Wall Street

O presidente Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong Un comprometeram-se com a desnuclearização da península coreana, mas a declaração conjunta deu poucos detalhes e teve, por isso, pouco impacto nos mercados.

Reuters

As principais bolsas norte-americanas fecharam pouco alteradas, com os investidores à esperada do final da reunião de política monetária da Reserva Federal norte-americana. A cimeira entre EUA e Coreia do Norte não impressionou os investidores, que estão mais focadas na amplamente esperada subida da federal funds rate.

Apesar da guerra comercial iniciada por Donald Trump e das divergências dos Estados Unidos com os outros seis membros do G7, a robustez da economia norte-americana deverá ser a principal razão para que o banco central liderado por Jerome Powell mantenha o percurso de normalização da política monetária.

Assim, é amplamente esperado pelo mercado que a Fed anuncie um novo aumento da federal funds rate target após a reunião de dois dias que termina esta quinta-feira, às 19 horas (em Lisboa). O aumento – o segundo este ano – nos juros de referência deverá ser de 0,25 pontos base para um intervalo entre 1,75% e 2%.

Com os custos dos empréstimos a normalizarem, os investidores estão concentrados na forma como a Fed irá conduzir a política monetária, enquanto procuram sinais sobre se irá subir as taxas três ou quatro vezes no acumulado de 2018.

“Há alguma hesitação em relação à reunião da Fed. As pessoas não têm certeza do que a Fed vai dizer”, afirmou Robert Pavlik, estrategista-chefe de investimentos e gestor de portefólio sénior da SlateStone Wealth, à agência Reuters.

“Penso que não irão dizer nada particularmente relacionado com um aumento em dezembro. Se falarem um pouco demais sobre a inflação, dará ao mercado razões para se preocupar”, acrescentou.

Dados conhecidos esta terça-feira indicam que o índice de preços no consumidor dos EUA subiu marginalmente em maio, à medida que os aumentos nos preços da gasolina desaceleraram.

A sessão ficou, assim, marcada por estas questões com os investidores a desvalorizarem a cimeira entre EUA e Coreia do Norte. O presidente Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong Un encontraram-se esta madrugada em Singapura e comprometeram-se a trabalhar para a completa desnuclearização da península coreana, mas a declaração conjunta deu poucos detalhes sobre como o objetivo seria alcançado e teve, por isso, pouco impacto nos mercados.

Neste cenário, Wall Street fechou com variações ligeiras. O índice industrial Dow Jones deslizou 0,01% para 25.320,73 pontos, enquanto o financeiro S&P 500 ganhou 0,17% para 2.786,86 pontos e o tecnológico Nasdaq subiu 0,57% para 7.703,79 pontos.

No mercado cambial, a moeda norte-americana apreciou-se 0,30% contra o euro para 1,1749 dólares e 0,04% contra a libra para 1,337 dólares. Em relação à par japonesa, o dólar valorizou 0,29% para 110,35 ienes. A yield das Treasuries a 10 anos somaram 0,92 pontos base para 2,96%.