CDS discute hoje critérios para listas de deputados

O CDS-PP arranca hoje o processo de escolha de candidatos às legislativas, numa altura em que grupos e tendências internas reclamam, com mais ou menos vigor, lugares elegíveis de deputados.

Este debate é lançado por Assunção Cristas, a líder do partido, num conselho nacional do CDS, a cerca de nove meses das eleições legislativas, já agendadas para 06 de outubro.

A direção nacional não divulgou ainda os critérios, o que só deverá fazer hoje, dia em que Cristas reúne, de manhã, a comissão política nacional, ficando a tarde reservada, em Oliveira de Frades, Viseu, para a reunião do conselho nacional.

As poucas declarações conhecidas de Assunção Cristas nesta questão foram, há semanas, numa entrevista a um jornal da Universidade Católica de Braga, ao defender que os candidatos devem ter “dimensão nacional” e “qualidade” para acompanharem os temas na Assembleia da República.

Raul Almeida, ex-deputado e que representa a lista alternativa liderada por Filipe Lobo d’Ávila no conselho nacional, afirmou à Lusa que este grupo “não exige lugares” nas listas nem quer negociar diretamente com a líder, mas admitiu que a bancada reflita “a diversidade no congresso”.

Já Abel Matos Santos, da Tendência Esperança em Movimento (TEM), uma corrente interna do partido, defendeu, também à Lusa, que as escolhas devem ser feitas “de baixo para cima” e as “distritais devem ter a palavra primordial, obviamente concertada” com a comissão política nacional e Assunção Cristas.

Para este dirigente, que tem assento na comissão política de Cristas, deve ser tida em conta a representatividade das três listas a votos no congresso de março de 2018 (cerca de 30%).

Tanto Raul Almeida como Matos Santos desaconselham Cristas a impor decisões, sem ter em conta a opinião das estruturas distritais.

A Juventude Popular tem uma posição há muito conhecida de voltar a ter representação no grupo parlamentar do partido, que deixou de ter em 2015.

Nas legislativas de outubro de 2015, o CDS o concorreu em coligação com o PSD, tendo os dois partidos obtido 36,8% dos votos. Os centristas elegeram 18 deputados.

Ler mais
Recomendadas

Transportes públicos no Médio Tejo com reduções de pelo menos 40%

A redução vai abranger não só os transportes públicos dentro da região, mas também na ligação a regiões vizinhas (Lezíria, Leiria, Coimbra e Beira Baixa) e os que são usados nas ligações pendulares a Lisboa, incidindo nos passes normais e jovens.

Rui Rio acusa Costa de pôr à frente “as relações pessoais e não exatamente a competência”.

Para Rui Rio, o Governo, liderado pelo socialista António Costa, “põe à frente, em muitas circunstâncias, as relações pessoais e não exatamente a competência”.

Steve Bannon e as eleições europeias: “Quanto mais participação houver, maior será a vitória do movimento populista”

Antigo conselheiro de Trum, ideólogo da nova extrema-direita e mentor de Bolsonaro e dos espanhóis do Vox, Bannon considera possível que 30% do próximo parlamento europeu seja populista.
Comentários