Centeno: Crescimento económico no terceiro trimestre confirma meta de 2017

O Ministério das Finanças afirmou hoje que o crescimento económico no terceiro trimestre, divulgado pelo INE, confirma as projeções do Governo de uma subida de 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB) no conjunto do ano.

Cristina Bernardo
Ler mais

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou hoje que, no terceiro trimestre, a economia portuguesa cresceu 2,5% em termos homólogos (abrandando face ao mesmo trimestre do ano passado) e 0,5% em cadeia (acelerando face aos três meses anteriores).

Para o ministério tutelado por Mário Centeno, este é um “crescimento elevado” e que “confirma as projeções do PIB para 2017”, de um crescimento económico de 2,6% no conjunto deste ano.

“Este crescimento económico corresponde às expectativas traçadas pelo Governo no Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), corroborando a solidez dos cenários macroeconómicos subjacentes às projeções orçamentais”, afirma.

Recorde-se que, na proposta de OE2018, o Governo reviu em alta a estimativa do crescimento da economia, de 1,8% para 2,6% este ano e de 1,9% para 2,2% no próximo.

O ministério destaca que os dados divulgados hoje “refletem o dinamismo da economia”, assinalando que a Portugal cresce, em cadeia, “pelo 14.º trimestre consecutivo, num contexto de maior equilíbrio das contas públicas e das contas externas”.

As Finanças sublinham também que o crescimento do PIB “acompanha uma evolução sólida do mercado de trabalho, com mais 141,5 mil empregos e menos 105,5 mil desempregados face a 2016, tendo a taxa de desemprego descido para os 8,5%”.

Relacionadas

INE: Portugal cresceu 2,5% no terceiro trimestre

Abrandamento da economia deveu-se a uma evolução menos favorável das trocas com o exterior, com subida mais acentuada das importações. Consumo acelera e investimento abranda.
Recomendadas

União Europeia aumenta pressão sobre a Suíça para concluir um novo acordo

“As negociações não podem tornar-se uma história sem fim”, referiu o comissário europeu Johannes Hahn, que ameaça interromper o comércio transfronteiriço de ações até ao final do ano, se não houver acordo.

Não acordo no Brexit terá um impacto “relativamente pequeno” no mercado de trabalho alemão

Cerca de 41.000 britânicos estavam empregados na Alemanha em dezembro de 2017, um número que é “insignificante para o mercado de trabalho em geral”, revelou o governo de Angela Merkel ao “Der Spiegel”, em resposta ao partido de extrema-esquerda.

Presidente do Banco de Itália alerta para o impacto do défice mais alto sobre a dívida

Qualquer aumento nos gastos do défice que não ajude a impulsionar o crescimento econmico estrutural poderá colocar a dívida da Itália “num rumo insustentável” referiu Ignazio Visco.
Comentários