Centeno mantém núcleo de confiança nas Finanças

Ministério das Finanças mantém secretários de Estado, à excepção de Maria de Fátima Fonseca que transita para a Modernização do Estado e da Administração Pública. Mourinho Félix mantém-se ‘número dois’.

A lista de secretários de Estado entregue esta segunda-feira ao Presidente da República não trouxe novos nomes ao ministério das Finanças. Mário Centeno manteve a equipa de confiança e Ricardo Mourinho Félix continuará a ser o ‘número dois’.

À excepção da secretaria de Estado da Administração e do Emprego Público – que no anterior governo pertencia a Maria de Fátima Fonseca e que transitou para a alçada do ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública-, a alocação de secretarias mantém-se no XXII Governo Constitucional.

O Ministro das Finanças continuará a ter Ricardo Mourinho Félix como secretário de Estado Adjunto e das Finanças Ricardo Mourinho Félix. A par disso, João Leão continuará com a secretaria de Estado do Orçamento e Álvaro Novo de Estado do Tesouro. Já António Mendonça Mendes mantém-se na secretaria dos Assuntos Fiscais.

Relacionadas

Nuno Artur Silva: Ex-administrador da RTP e fundador da Produções Fictícias vai para secretário de Estado

Nuno Artur Silva assume funções governamentais, pouco mais de um ano depois de ter deixado a administração da RTP por alegado conflito de interesses. A sua nomeação é uma das maiores surpresas na equipa do novo Governo.

Marcelo aceita novos secretários de Estado. Veja aqui a lista

O Presidente da República aceitou a proposta de António Costa para secretários de Estado.
Recomendadas

OCDE reitera sinais de abrandamento na zona euro, Alemanha e EUA

Em relação a Portugal, o indicador compósito avançado da OCDE manteve-se em setembro pelo terceiro mês consecutivo nos 98,9 pontos, mantendo-se assim abaixo dos 100 pontos desde novembro de 2018.

CMVM: Empresas demonstram falta de conhecimento sobre finanças sustentáveis

De acordo com o relatório divulgado pelo regulador do mercados sobre os fatores ‘ESG’, as 17 entidades envolvidas nessa consulta pública, entre as quais empresas e associações representativas do setor empresarial e financeiro e dos consumidores, sinalizaram dificuldades de “imprecisão e confusão conceptual” sobre o tema.

Lisboa e Porto concentram mais de metade do poder de compra em Portugal

Apenas em 32 dos 308 municípios portugueses, o poder de compra per capita é superior à média nacional.
Comentários