Centeno mantém núcleo de confiança nas Finanças

Ministério das Finanças mantém secretários de Estado, à excepção de Maria de Fátima Fonseca que transita para a Modernização do Estado e da Administração Pública. Mourinho Félix mantém-se ‘número dois’.

A lista de secretários de Estado entregue esta segunda-feira ao Presidente da República não trouxe novos nomes ao ministério das Finanças. Mário Centeno manteve a equipa de confiança e Ricardo Mourinho Félix continuará a ser o ‘número dois’.

À excepção da secretaria de Estado da Administração e do Emprego Público – que no anterior governo pertencia a Maria de Fátima Fonseca e que transitou para a alçada do ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública-, a alocação de secretarias mantém-se no XXII Governo Constitucional.

O Ministro das Finanças continuará a ter Ricardo Mourinho Félix como secretário de Estado Adjunto e das Finanças Ricardo Mourinho Félix. A par disso, João Leão continuará com a secretaria de Estado do Orçamento e Álvaro Novo de Estado do Tesouro. Já António Mendonça Mendes mantém-se na secretaria dos Assuntos Fiscais.

Relacionadas

Nuno Artur Silva: Ex-administrador da RTP e fundador da Produções Fictícias vai para secretário de Estado

Nuno Artur Silva assume funções governamentais, pouco mais de um ano depois de ter deixado a administração da RTP por alegado conflito de interesses. A sua nomeação é uma das maiores surpresas na equipa do novo Governo.

Marcelo aceita novos secretários de Estado. Veja aqui a lista

O Presidente da República aceitou a proposta de António Costa para secretários de Estado.
Recomendadas

AICEP apresenta Acelerador das Exportações Online

A AICEP vai concentrar todo o seu trabalho de junho no objetivo fixado pelo Governo de promover as exportações. Na próxima terça-feira, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, vai acompanhar a apresentação da nova ferramenta de Inteligência Artificial que é colocada ao serviço dos exportadores nacionais, o “Acelerador das Exportações Online”.

Bancos têm até hoje para enviar ao regulador planos de prevenção do branqueamento de capitais

Os bancos têm até hoje para enviarem ao Banco de Portugal os planos de financiamento e os relatórios de prevenção do branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, depois dos prolongamentos dos prazos devido à covid-19. Numa situação normal, estes relatórios já deveriam ter sido enviados pelos bancos, mas o regulador e supervisor bancário anunciou a prorrogação dos prazos em abril, considerando que é de “particular importância” a qualidade da informação financeira e prudencial no atual contexto económico. O Banco de Portugal prolongou ainda, para 12 de junho, o reporte de informação financeira em base individual e o reporte de informação para fins de supervisão aplicável às sociedades financeiras, assim como a informação sobre empresas incluídas no perímetro de consolidação e sobre a evolução da carteira de crédito.

Proprietários tem até hoje para pagar primeira fase ou a totalidade do IMI

Os quase quatro milhões de contribuintes que receberam uma nota de liquidação do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) têm até hoje para efetuar o pagamento da primeira prestação ou da totalidade do imposto.
Comentários