Centeno tocou o sino e já é presidente do Eurogrupo

O ministro das Finanças português tomou posse esta sexta-feira em Paris. Formalmente, o mandato de Mário Centeno tem início amanhã, 13 de janeiro,

Cristina Bernardo

O ministro das Finanças português tomou oficialmente posse como presidente do Eurogrupo esta sexta-feira de manhã em Paris, França. O mandato de Mário Centeno tem início amanhã, 13 de janeiro, mas o governante tocou há poucos minutos o sino que tradicionalmente simboliza a passagem de testemunho, desta vez, entre Jeroen Dijsselbloem e Mário Centeno.

“Abre-se agora uma janela de oportunidades que deve ser aproveitada”, afirmou  o ministro português, na conferência de imprensa que se realizou por volta das 11 horas, na capital francesa. Mário Centeno reforçou a ideia de que se deve continuar a fazer mudanças no sistema bancário, no mercado de capitais, entre outras alterações financeiras nos países de moeda única.

O atual presidente do Eurogrupo, eleito no passado dia 4 de dezembro, disse que espera ir ao encontro das expectativas dos cidadãos da zona euro e que toda a preparação para essas reformas “é desafiante mas tem de ser enfrentada”. O seu antecessor no grupo informal de ministros das Finanças, Jeroen Dijsselbloem, realçou o orgulho na vitória de Mário Centeno, defendeu que a zona euro está no bom caminho e entregou a ‘campainha’.

No dia em que foi conhecida a sua eleição, Mário Centeno afirmou que “é uma honra ser o próximo presidente do Eurogrupo” e salientou que a candidatura portuguesa à presidência do fórum de ministros das Finanças da zona euro foi construída “com muita credibilidade e esforço”. O ministro justificou que o orgulho se devia “à relevância deste grupo, à qualidade dos meus colegas e à importância do trabalho que temos de fazer nos próximos anos” e sublinhou que esse trabalho “tem de ser feito por todos os membros que pertencem ao euro, Comissão, instituições europeias”.

Relacionadas

A nova vida de Centeno

Ministro das Finanças assume presidência do Eurogrupo este sábado. O trabalho vai ser feito essencialmente a partir de Lisboa, mas as viagens de avião e as pernoitas em hotéis vão tornar-se rotina. No campo político, a reforma da Zona Euro e a Grécia são as principais dores de cabeça.

Margarida Marques: “Centeno vai ter maior influência política”

Margarida Marques, ex-secretária de Estado dos Assuntos Europeus, garante ao Jornal Económico que a chegada do português à presidência não é uma conquista menor.

Mário Centeno assume liderança do Eurogrupo hoje

O Conselho da União Europeia refere que a “passagem de testemunho” da presidência do Eurogrupo do holandês Jeroen Dijsselbloem para Mário Centeno decorrerá pelas 12:00 em Paris (11:00 em Lisboa). Como o Eurogrupo é considerado um órgão informal da União Europeia, não haverá uma tomada de posse formal.
Recomendadas

PremiumEmília Vieira: “Ricos ficam mais ricos porque preferem ações em vez de imobiliário”

A Casa de Investimentos vai lançar o “Livro do Investimento em Valor”, em parceria com o Jornal Económico. Em entrevista, a CEO Emília Vieira explica esta aposta.

Premium“Não vejo o investimento como risco na execução do Orçamento do Estado”

Mourinho Félix afirma que o Orçamento do Estado para 2019 tem medidas que garantem um crescimento robusto do investimento. E defende que o fim do PEC e do IVA alfandegário vão libertar tesouraria para as empresas investirem mais.

PremiumExportações de vinhos deverão exceder 800 milhões de euros

Vendas de vinho nacional no estrangeiro cresceram 6% até junho, tendo Portugal obtido as maiores taxas de crescimento em diversos mercados.
Comentários