Centro de Portugal continua a crescer como destino turístico

Pedro Machado, presidente do Turismo da Região Centro, referiu em Macau que o Centro continua a crescer como destino turístico e a previsão aponta que será entre 16 e 17% este ano e de dois dígitos em 2018.

Estabeleça “metas verdes” para 2019

Apesar do flagelo dos incêndios que devastou algumas regiões do Centro do país, Pedro Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal, revelou em conferência de imprensa durante o 43º congresso nacional da APAVT – Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo que decorre até amanhã, em Macau, que o Centro continua a crescer como destino turístico e a previsão aponta que será entre 16 e 17% este ano e “certamente de dois dígitos em 2018”.

Para o responsável a região é muito vasta e os produtos muito diversificados e não são as 1000 camas que ficaram destruídas durante os fogos que irão diminuir o interesse e a procura pela região, sobretudo quando existem cerca de 45 mil camas de oferta.

“O Centro de Portugal foi fustigado em todas as áreas mas queremos afirmar que ainda temos infraestruturas, produtos, marcas que estão em perfeitas condições e que podem continuar a ser um destino privilegiado para o turismo, até porque temos um turismo de qualidade e não massificado”, adiantou. Pedro Machado admite mesmo que o Centro está a reerguer-se e a reabilitar-se.

Para isso, o responsável adianta que existem planos estratégicos para ultrapassar rapidamente os efeitos destrutivos dos incêndios, nomeadamente a reposição das infraestruturas atingidas, através de linhas de apoio, seja de tesouraria bem como de requalificação. Outra das estratégias passa por reforçar a diversidade dos produtos. “Não devemos esquecer que o Centro tem uma diversidade de produtos, alguns muitos fortes, nomeadamente o turismo religioso, o de atividades desportivas, sejam de mar e de serra”, adiantou.

Para colocar a região Centro no ‘centro’ das atenções, Fátima Vila Maior, diretora da Área de Feiras da FIL, revelou também em Macau, que o Centro de Portugal será o destino convidado na próxima edição da Bolsa de Turismo de Lisboa – BTL que irá decorrer entre os dias 28 de fevereiro e 4 de março de 2018 na FIL, Parque das Nações.

“O Centro de Portugal é o que tem mais oferta e que nunca se esgota e pretendemos posicionar a região na BTL. Existe muito trabalho a fazer depois da tragédia e não será apenas nos meses seguintes mas também durante o ano de 2018”, explicou a responsável.

De facto, a zona Centro tem merecido uma atenção especial para ultrapassar a tragédia de Junho e Outubro, por parte do Governo. Ana Mendes Godinho, ontem durante a sua intervenção, mencionou que foi lançado um programa de captação de eventos e congressos e estão previstos 59 para 2018 e “acabámos de aprovar novas regras especiais para a captação de eventos e congressos para o interior do país para a zona dos incêndios”.

Também a AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, referiu que foi pedido aos empresários do setor que nos habituais Cabazes de Natal os façam com produtos oriundos do Centro do país.

Ler mais
Relacionadas

Matosinhos: Multinacional abre centro de inovação e cria 350 postos de trabalho

A multinacional Vestas, ligada ao setor eólico, vai criar 350 postos de trabalho com a abertura de um centro de inovação no complexo da Lionesa, indicou hoje o administrador do grupo localizado em Leça do Balio, Matosinhos.
Recomendadas

Um ministro das Finanças e um orçamento comum, as receitas de Blanchard para a Zona Euro

O antigo economista-chefe do FMI traçou o caminho para uma política monetária e orçamental mais coordenada para a zona euro. Além da criação de um posto de ministro das Finanças, Olivier Blanchard disse que é essencial agilizar as políticas sobre o défice e sugeriu um orçamento comunitário comum.

Governo estuda emissão de obrigações para empresas industriais

O Governo está a estudar lançar emissões de obrigações agrupadas para vários setores, nomeadamente o industrial, depois de anunciar hoje uma operação destinada a empresas de turismo, de acordo com o ministro Adjunto e da Economia.

“A economia está a arrefecer”, alerta banco central da Alemanha 

O Bundesbank, banco central alemão, considerou esta segunda-feira que a economia da Alemanha está a abrandar após um período de grande prosperidade, mas espera uma estabilização no segundo semestre do ano.
Comentários